Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Temporão quer discutir gripe suína com ministros sul-americanos

Publicidade

Embora a América do Sul não tenha registrado, até o momento, nenhum caso da gripe AH1N1, conhecida como gripe suína, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, disse na última sexta-feira (1º) que pretende convidar para uma renião, nesta semana, autoridades de saúde da região para tentar conter a doença.
Deixe o seu comentário sobre esta notícia
Tem mais informações sobre o tema? Então, clique aqui
“Penso na possibilidade de propor aos ministros de Saúde da América do Sul um encontro, em Brasília, se possível na semana que vem para discutir a gripe na perspectiva do continente”, afirmou em entrevista à imprensa, após inauguração da unidade de reabilitação da Rede Sarah, no Rio de Janeiro.
“Não adianta eu ter uma estrutura de vigilância muito boa aqui se o meu vizinho não tem e vice-versa”, acrescentou.
Temporão afirmou que não há motivos para “pânico”, mas, como a doneça se espalhou pelo mundo, ele considera que é inevitável a chegada do vírus ao Brasil. Até o momento, o ministério monitora quatro casos suspeitos e investiga mais 42, em 12 estados. 
O ministro também reafirmou que toda a rede de vigilância está “em plena atividade” e pediu para que a população não se automedique. Segundo ele, o país tem uma rede preparada para tratar a gripe e produzir remédios, caso necessário.
O uso de máscaras, afirmou, só é necessário por funcionários de portos e aeroportos ou por equipes de saúde, que lidam com pessoas que chegam de áreas afetadas. Sobre o plano de contingência, não descartou que a vigilância possa ser estendida a estradas.
“Não tem nenhum sentido as pessoas ficarem comprando máscaras, muito menos medicamentos para tratar gripe porque a automedicação pode mascarar sintomas. Ninguém deve tomar remédio sem orientação”, reforçou.
Durante entrevista, o ministro também afirmou que o país não demorou a tomar medidas para conter a doença e criticou o aviso do risco de pandemia emitido pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o qual considerou tardio.
“[A OMS] demorou a avisar o mundo do que estava acontecendo. Apenas na madrugada de sábado (25), a OMS soltou um alerta. Todos os países do mundo foram pegos de surpresa”, disse.
De acordo com boletim divulgado hoje pela OMS, subiu para 331 casos de gripe suína no mundo, com confirmação de dez mortos. México e Estados Unidos registram o maior número de casos confirmados da doença.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta