Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Temporão diz que epidemia de dengue é crônica da morte anunciada

Publicidade

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, disse ontem (5) que estava previsto o elevado número de casos de dengue, com mortes sob análise, no município de Itabuna (BA), que decretou situação de emergência por conta da epidemia. “O que houve ali foi uma crônica da morte anunciada”, afirmou Temporão, após o lançamento do Plano Nacional de Atividade Física, no Rio de Janeiro.
Deixe o seu comentário sobre esta notícia
Tem mais informações sobre o tema? Então, clique aqui
Segundo o ministro, durante as eleições, no final do ano passado, apesar dos alertas do ministério, o trabalho de combate ao mosquito da dengue foi interrompido na cidade. “O processo eleitoral lá parou o trabalho de combate ao vetor [mosquito aedes aegypti]. Quando a nova administração entrou, era tarde demais”, explicou.
“A prefeitura simplesmente desestruturou toda o sistema de combate ao vetor e, lamentavelmente, estamos acompanhando isso”, completou.
A Agência Brasil não encontrou o prefeito de Itabuna para comentar as declarações do ministro.
De acordo com Temporão, o ministério tomou todas as medidas para reverter o quadro, com aumento do repasse de verbas em R$ 9,5 milhões, treinamento de profissionais e parcerias com médicos das Forças Armadas.
A Bahia é o estado com o maior número de casos de dengue no país. Segundo dados do Ministério da Saúde, desde o começo do ano foram registrados 32.306 casos suspeitos.
O município de Jequié concentra a maioria das notificações, seguido de Itabuna e Porto Seguro. Além desses, mais quatro municípios decretaram situação de emergência por conta da doença no estado.
No país, no mesmo período, foram notificados 126.139 casos suspeitos de dengue, sendo que 23 pessoas morreram em decorrência da doença.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta