Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Tecnologia da Informação a serviço da Saúde

Publicidade

Não basta investir em tecnologia. É preciso saber diagnosticar o melhor momento da evolução tecnológica para aumentar a competitividade da instituição e sair à frente dos ?concorrentes?. Com a palestra ?Estratégias de negócios na medicina direcionadas pela tecnologia?, Fabio Gandour, Gerente de Novas Tecnologias da IBM e médico formado pela Universidade de Brasília, abriu o terceiro dia do Saúde Business Fórum mostrando os principais avanços que a tecnologia teve nos últimos anos e o impacto disso para o setor de saúde. ?Existe hoje uma demanda explosiva por tecnologia na área de saúde, porém saber utilizá-la e aproveitar os benefícios que esta tecnologia pode trazer de resultados para o negócio, ainda é um fator falho no setor. Costumo dizer que na saúde sobra tecnologia e falta tecnologia. Muitas coisas mudaram, mas outras continuam as mesmas. É necessário estudar este mercado e detectar as suas principais carências em Tecnologia da Informação (TI)?, comenta Gandour.
Um estudo realizado pela IBM comprovou um novo modelo de evolução tecnológica, em que a curva de crescimento tecnológico passa por cinco fases: a da descoberta, desenvolvimento, expectativa da eficácia, desilusão, análise, produção e consumo explosivo. Observou-se que existe uma grande rejeição no início do lançamento de uma tecnologia, e a tendência é de quem com o passar do tempo isto vá diminuindo, até chegar na fase de aceitação.
Alguns pontos críticos são importantes no momento de se adotar uma nova tecnologia. É fundamental traçar estratégias de quando escolher, como, quando comprar, como oferecer e como usar. A fase de rejeição, por exemplo, está diretamente ligada ao baixo custo, porém existe sempre uma margem de risco, que deve ser avaliada caso a caso. Para a instituição que deseja ser competitiva, estar na vanguarda em tecnologia é fundamental. Além disso, devem ser levados em conta os fatores socioeconômicos, sócio-geográficos, ideologia do mercado e a sociedade de uma maneira geral que determinam necessidades peculiares, riscos, demandas e apontam tendências de comportamento, fundamentais para as estratégias de negócios.
Muitos buscam na tecnologia uma barreira para garantir a perenidade do negócio. Gandour reforça que não basta ter tecnologia, é preciso capacitar os profissionais para a atuação e evolução da mesma. ?Com o inevitável crescimento tecnológico o setor terá que rever num futuro próximo seus conceitos éticos e estar preparado para acompanhar outras mudanças que a TI poderá trazer?, conclui.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta