HIS17 Já emitiu sua credencial gratuita para o HIS '17? Clique aqui

Startup gaúcha cria ferramenta Leithos que pode salvar vidas

Publicidade

Acabar com a demorada procura por leitos hospitalares pode salvar vidas! E foi pensado nisso que a startup beeIT – Sistemas de Saúde, empresa incubada no Centro de Empreendimentos em Informática da UFRGS, desenvolveu a ferramenta Leithos.

Concebido a “seis mãos” pelos três sócios – o analista de sistemas e CEO, Sandro Pinheiro, o analista de sistemas, Leonel Pinheiro, e o desenvolvedor, Giancarlo Soares, ambos diretores – o novo aplicativo levou 16 meses para ser concluído e tem o objetivo de reduzir em até 60% a ociosidade de leitos hospitalares, promovendo uma gestão inteligente e a otimização das vagas.

De acordo com Sandro Pinheiro, o software permitirá a gestores, médicos, enfermeiros, técnicos e às equipes de manutenção e higienização uma maior agilidade nos processos que antecedem a entrega de um leito para internação.

Por meio de um tablet instalado em carrinhos de limpeza ou fixado em pontos estratégicos nas alas dos hospitais, o aplicativo permitirá a verificação dos leitos que estão aptos a receber pacientes, quais ainda devem ser higienizados, o monitoramento do período para limpeza e a liberação final”, explica o CEO, que completa: “Quando o paciente recebe alta, o sistema de gestão do hospital avisa a ferramenta que aquele leito está desocupado e apto a ser preparado para um novo paciente.”

A ferramenta cria uma fila de atividades para cada um dos envolvidos, facilitando a comunicação e promovendo a interação do trabalho destas pessoas e padronizando os processos de liberação do leito na unidade de saúde. “É uma forma de eliminar etapas desnecessárias e reduzir o tempo de ociosidade do leito, proporcionando uma maior rotatividade, diminuindo o tempo de espera do paciente pela liberação do leito internação, gerando benefícios econômicos e, principalmente sociais”, avalia.

Pinheiro revela que uma das grandes metas é, um dia, conseguir implantar a solução em todos os hospitais do Brasil, minimizando a precariedade do sistema de saúde e evitando que milhares de pessoas fiquem sentadas em emergências, sofrendo com dor. “É preciso preservar a dignidade do doente”, considera.

De acordo com o Ministério da Saúde, atualmente o Brasil conta com 494.496 leitos hospitalares disponíveis, sendo 337.011 exclusivamente do Sistema Único de Saúde.

Considerando a população brasileira, são 2,47 leitos por mil habitantes, quando o mínimo recomendado pela OMS é de 3 a 5 leitos para esta proporção. “Já temos menos leitos do que o necessário. Se pudermos otimizar a utilização deles, será um ponto a favor da saúde”.

Em 2016, os três sócios apresentaram o novo software nas feiras Hospitalar, de São Paulo, e na Medica, em Düsseldorf, na Alemanha, sendo esta a maior do mundo em tamanho e a segunda em volume de negócios. “O principal objetivo na participação das feiras foi mostrar à comunidade a solução Leithos e todas as particularidades que nela existem”, destaca Pinheiro.

Para o CEO, existe um grande grau de inovação e também um paradigma que deve ser quebrado: o do uso de dispositivos móveis por colaboradores responsáveis pela higienização dos leitos do hospital, considerados, muitas vezes, como pouco qualificados. “A utilização de dispositivos móveis por este grupo de usuários, integrados a demais colaboradores como enfermeiros e até mesmo médicos, chamou bastante atenção dos visitantes. No entanto, conseguimos mostrar que a ação destes usuários é muito simples e fácil, feita com apenas dois cliques: iniciar e finalizar atividade. A prioridade das atividades de limpeza será apontada pelo próprio sistema”.

 

       
Publicidade

Deixe uma resposta