Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Souza Cruz tenta suspender resolução da Anvisa

Publicidade

Coordenadora do Programa Nacional de Controle do Tabagismo do Ministério da Saúde, Tânia Cavalcante, classificou como um “desserviço para a saúde pública” a liminar da Justiça Federal do Rio de Janeiro suspendendo a circulação do terceiro grupo de imagens de advertência nos maços de cigarros, prevista para começar em maio. Conforme noticiado hoje pelo jornal O Estado de S. Paulo, a ação da Souza Cruz foi a terceira tentativa da indústria do cigarro de suspender a resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O fabricante alega que as imagens, mais fortes do que as atuais, não são reais.
Deixe o seu comentário sobre esta notícia
Tem mais informações sobre o tema? Então, clique aqui
“Não se pode deixar um esforço enorme de saúde publica ser derrubado com argumentações beirando o ridículo”, disse Tânia. “A indústria do tabaco é altamente perita em usar metáforas para fazer propagandas enganosas, lindas e maravilhosas para um produto que mata metade dos seus consumidores.” Segundo ela, as novas imagens são uma “contrapropaganda”, já que o cigarro é propagandeado das formas mais enganosas possíveis, com sabores, cores e associações positivas.
As novas imagens, entre elas a de um feto abortado e um tórax aberto, foram escolhidas depois de dois anos de estudos por um grupo multidisciplinar coordenado pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca) e formado por pesquisadores do Laboratório de Neurofisiologia do Comportamento da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), de marketing e propaganda da Universidade Federal Fluminense (UFF) e de desenho industrial da Pontifícia Universidade Católica (PUC).

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta