Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Simpósio abre espaço para discussão da Assistência Domiciliar na Capital Federal

Publicidade

O evento realizado na Capital Federal nos dias 15 e 16 abriu espaço para as empresas de Home Care, operadoras de saúde, gestores em saúde e o próprio Núcleo Nacional das Empresas de Serviços de Atenção Domiciliar (Nead) iniciarem importante discussão em torno da Assistência Médico-Domiciliar no Distrito Federal capaz enxergar todos os personagens envolvidos no processo da assistência e assegurar um atendimento de qualidade e efetivo para o paciente.

Com o compromisso de abordar a assistência domiciliar nos seus aspectos de gestão e técnico, o evento foi aberto pelo presidente do Nead, Dr. André Minchillo, que abordou a realidade da assistência médico-domiciliar no cenário nacional e os desafios do Distrito Federal. Em sua palestra, Minchillo, destacou que o segmento de Home Care é relativamente jovem, mas que está se estruturando de forma gradativa nesses últimos anos. “A utilidade desta iniciativa é importante para que se criem ferramentas de gestão e aprendizado” comentou.

Para o presidente da entidade, o acesso da população aos serviços de assistência domiciliar está crescendo consideravelmente. No cenário da assistência domiciliar expôs que ainda se afiguram dificuldades de acesso a hospitais para que se chegue ao paciente para realizar uma avaliação.

Outro tema abordado ainda no dia da abertura tratou de discutir maneiras de administrar a diversidade de interesses como parceiros em Home Care. Conduzida pelo médico e Coordenador Médico do Grupo Ideal Care, Dr. Oswaldo Lourenço de Molla Neto, a apresentação buscou retratar os principais atores e parceiros que atuam no sistema e o que se deve considerar quando se fala em gerenciamento.

Para o médico “as operadoras de planos de saúde acreditam que os prestadores de serviços e os profissionais de saúde sobrecarregam de forma desnecessária as despesas do sistema e por isso, desenvolvem métodos para evitar a realização ou pagamento daquilo que consideram desnecessário”, comentou Neto.

O segundo dia do evento foi marcado pela exposição da visão de operadoras de saúde em Autogestão e Medicina de Grupo. Hênio Braga, Gerente da CASSI em Brasília, expôs os cuidados domiciliares na visão de uma empresa de autogestão. Em sua palestra comentou a estratégia de saúde da família implementada pela CASSI e de que maneira a assistência domiciliar está inserida nessa estratégia. “Na CASSI fazemos a gestão das necessidades do paciente, e não a gestão da oferta do mercado”. Comentou. Para o palestrante é preciso que haja um processo de interação e integração da assistência oferecida. “É preciso repensar as práticas de atenção domiciliar” destacou.

O ponto máximo do evento reuniu em mesa redonda os personagens que atuam no segmento em torno da discussão da administração da diversidade de pensamentos. Participaram da discussão a Diretora Regional da União Nacional das Empresas de Autogestão em Saúde (Unidas), Angela Oliveira, o Presidente do Nead, Dr. André Minchillo, o Gerente da CASSI, Hênio Braga, com mediação do representante da empresa Pleno Saúde, Dr. Ricardo Spilborghs.

Entre os assuntos discutidos foram descatados os processos de acreditação atuais. Para o grupo, ainda há que se discutir a validade dos protocolos utilizados para o segmento de Assistência Domiciliar, haja vista que se trata de processos emanados do ambiente hospitalar, que não estão adaptados para a realidade domiciliar. Outra questão foi o fato de que a acreditação não assegura à empresa diferenciação em preço.

Concluídos os painéis o evento foi finalizado com a expectativa de se começar a pensar em sua próxima edição.

Confira as fotos do evento: http://migre.me/5k1YR

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta