Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Secretário vai decidir destino do Hospital Pedro II

Publicidade

Numa reunião marcada para a manhã desta sexta-feira (15), com diretores de outros hospitais estaduais e o secretário de Saúde Sérgio Côrtes, será avaliado o estado dos pacientes que tiveram de ser transferidos do Hospital Pedro II, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, após um incêndio no transformador na tarde da última quinta-feira. Côrtes também vai ser reunir com engenheiros da Empresa de Obras Públicas (Emop) para decidir o destino da unidade, que teve a rede elétrica carbonizada.

e receba os destaques em sua caixa de e-mail. 
  
“Vamos ter uma reunião com os diretores de todos os hospitais para receber o estado de clínico de todos os pacientes. Temos a informação de apenas um óbito, à noite, no CTI do Hospital Rocha Faria, de um idoso que já estava em estado muito grave no CTI do Pedro II. O estado dele já era extremamente grave”, disse Côrtes ao portal G1.
Na manhã desta sexta-feira (15), 73 pacientes continuam internados no Pedro II e 30 estão no hospital de campanha, montado ao lado da unidade. A transferência dos pacientes ocorreu também durante a madrugada. Os médicos dos bombeiros, que estão no hospital de campanha, serão rendidos pelos médicos do próprio Pedro II.
Após incêndio, os bombeiros montaram hospital de campanha na Zona Oeste. Pelo menos dez pacientes, que estão no hospital de campanha, serão transferidos para hospitais em Paraíba do Sul, no Centro-Sul Fluminense. O secretário acredita que em mais três dias conseguirá transferir todos os pacientes do Pedro II.
O secretário de Saúde informou ainda que o Pedro II vai ficar desativado. Engenheiros da Emop irão avaliar as condições do prédio, já que toda a rede de distribuição de energia do hospital foi carbonizada e a rede hidráulica também ficou bastante danificada. Transformadores não conseguem suprir a demanda de CTI, centro cirúrgico e centro de tratamento de queimados, informou ele.
Segundo Côrtes, a grande preocupação, neste momento, são as gestantes. Mas segundo ele, no hospital há obstetras e anestesistas de plantão. O hospital de campanha tem capacidade para realizar partos e quatro ambulâncias cegonhas estão de prontidão para transferir as grávidas.
De acordo com a Secretaria estadual de Saúde, o incêndio teve início por volta das 11h30 de quinta-feira (14), e foi controlado por bombeiros em 30 minutos. Não houve feridos.
Ainda segundo a Secretaria, o fogo teve início no transformador da rede de energia elétrica que fica no subsolo do prédio e ficou restrito a apenas este setor. O incêndio não atingiu os andares superiores do prédio, mas a fumaça chegou aos andares inferiores da unidade. A causa do incêndio será determinada pela perícia.
Em nota, a Light informou que o transformador era do hospital e que a empresa cedeu um gerador para garantir o funcionamento da emergência e do centro cirúrgico na unidade.
A Rua do Prado que estava totalmente fechada, segue parcialmente interditada. Segundo a Guarda Municipal, o trecho fechado fica entre a Rua do Prado e a Praça do Gado. O objetivo é facilitar o acesso das ambulâncias ao local.
 
*Com in formações do G1

Você tem Twitter? Então, siga
 http://twitter.com/SB_Web e fique por dentro das principais notícias do setor.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta