5º CONAHP debaterá “O Hospital do Futuro: O Futuro dos Hospitais”. Faça já sua inscrição → Clique aqui

#SBF17: Depois de 15 anos… mudanças

Publicidade

Se em 2014 você me perguntasse qual era minha opinião sobre a possibilidade de reunir 100 executivos em torno de um evento de 4 dias, com uma agenda tomada de conteúdos paralelos e reuniões de 30 minutos, minha resposta seria: muito difícil isso acontecer.

Ao longo desses últimos 4 ou 5 anos em que mergulhei no mundo do marketing, sem contar os anos em que estudava produtos e serviços, vi muitos eventos surgirem e sumirem, poucos ou quase nenhum deles, sobreviveram.

Mudança… se tivesse que escolher uma palavra-chave para explicar o sucesso de um encontro de pessoas, seja sob a ótica profissional ou pessoal, essa seria ela, sem dúvidas! Embora o ser humano, principalmente seu cérebro, seja avesso a mudanças e fugas de zonas de conforto, não há evolução e crescimento sem elas.

Em 2014, quando fizemos a fusão e criação da Live Healthcare, pude me aprofundar em um dos nossos encontros (Saúde Business Fórum), na época já em sua 12ª edição, e entender profundamente o que leva os 100 executivos a pararem suas vidas e agendas, para se reunir. Além disso, vi na prática a real dificuldade de engajá-los, e antes disso, de estar em suas agendas.

“Talvez esse seja o único evento que reúne todos os stakeholders da cadeia de saúde: Hospitais, Fornecedores e Operadoras.” – Denise Santos, Superintendente do Grupo BP

Só um parênteses aqui… A Denise é uma das pessoas que estão mudando a saúde no Brasil. Não é de agora, mas basta olhar seu trabalho à frente da BP para entender e admirar.

Qual a receita de eventos como Tomorrow Land, C2 Montreal, Slush, Coachella, The Summit, Inbound, Rock in Rio e outros? Mudança… Mudanças no produto, mudanças de mindset, mudanças de percepção de valor, mudanças, mudanças e mais mudanças…

Agora, 15 anos depois, é hora do SBF mudar de novo.

Em 2014, mudamos a maneira de abordar o conteúdo, mudamos a maneira de selecionar os convidados, mudamos a maneira de nos aproximar dos parceiros. Qual resultado disso? Em 2015 e 2016 o Saúde Business Fórum construiu um NPS (Net Promoter Score) de 76 pontos, ou seja, dentro do intervalo de “Perfeição” na metodologia NPS.

Somos perfeitos? Nem perto disso! E por isso estou aqui escrevendo sobre o assunto, para aprender mais com você que me conhece, para colher ideias, feedbacks, referências e muito mais (Não deixe de comentar e me mandar feedbacks por mensagem).

“Tá… mas me conta o que estão mudando para a 15ª edição…”

Tempo para troca de experiências

Temos percebido que o gestor do setor da saúde está mudando seu mindset, sua maneira de pensar. Está mais aberto a compartilhar experiência, expor suas fraquezas a fim de encontrar soluções e investir em uma visão sistêmica, de toda cadeia. O gestor do “eu resolvo tudo sozinho” é cada vez mais um ser raro na saúde.

Com isso em mente, reduzimos a quantidade de reuniões que cada executivo realiza durante o encontro, em 35-40%. E a consequência disso é mais tempo para relacionamento entre os convidados, mais tempo para discussão de parcerias estratégicas e mais tempo para o cérebro assimilar tudo que se passa ao longo dos quatro dias.

Se o gestor não está mais sozinho, por que temos de estar?

Tradicionalmente nosso time editorial é responsável pelo conteúdo, mas por que centralizar esse conhecimento? Por que não buscar parceiros, que estão tão ou mais antenados do que a gente, para trazer conteúdos que sejam relevantes e entreguem valor para os convidados?

Esse é o motivo pelo qual nos juntamos ao ICOS (Instituto Coalização Saúde), capitaneado por executivos como Claudio Lottenberg, Giovanni Guido Cerri, Denise Eloi, Carlos Alberto Goulart, Francisco Balestrin, Ruy Baumer, Henrique Neves, Paulo Chapchap e outros? Quer saber mais, acesse aqui.

Foco na conexão

Me arrisco a dizer que temos um dos encontros mais qualificados do setor, muito por conta do trabalho de inteligência de mercado que fazemos há 15 anos, além do fato de termos médicos e outros profissionais de saúde na equipe, o que nos dá uma visão diferenciada do setor.

Mas como melhorar o nível das discussões e relacionamentos? Focar na conexão de pessoas. O que as motiva? O que diferencia a criação de um relacionamento ou a ausência dele?

Com isso em mente, esse ano passamos a explorar cada vez mais o boca-a-boca, ou word of mouth, como dizem os americanos. Criamos um modelo de recomendação, onde executivos que já vão ao Fórum e parceiros podem recomendar outros executivos, aumentando ainda mais a chance do fórum criar mais relacionamento e gerar mudança.

Estamos estimulando as indicações de convidados por parte dos convidados e parceiros já habitués.

Muito foco na experiência dos convidados e parceiros, uma busca constante por mudanças e excelência operacional: é o que nos motiva a levar o Saúde Business Fórum a completar mais 15 anos de sucesso.

       
Publicidade

Deixe uma resposta