Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

“Saúde não pode ser justificativa para ter tributo”

Publicidade

“Achei ótimo, por incrível que pareça, porque acho que o governo está muito ?gastão'”. Foi assim que o diretor do CPES – Centro Paulista de Economia da Saúde da Universidade Federal de São Paulo, Marcos Bosi Ferraz, opinou sobre a derrota da CPMF no Senado.
“O País precisa muito menos de assistencialismo e muito mais de geração de emprego. E mais tributo contribui para a diminuição de emprego”, argumenta Bosi.
Na opinião do economista, o governo deveria estabelecer quais os recursos necessários para a Saúde, independente de onde venha. “Estão querendo mais R$ 5 bilhões para o Programa Mais Saúde, sem avaliar se os outros R$ 80 bilhões estão sendo bem usados. Não vejo uma discussão sobre como eles irão distribuir os recursos nos próximos anos”, critica Bosi, ressaltando alguns erros nesse processo. “Não dá para usar a Saúde como justificativa para ter esse tributo”.  
Para ele, o governo deveria anunciar quais os outros setores que perdem com a derrota da CPMF no senado, mas afirmar que a Saúde estaria garantida, “porque não tem como não estar”.
Leia mais:
Cobertura completa da CPMF
Vote em nossa enquete: Você concorda com o fim da CPMF?

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta