Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Saúde do homem ganhará rede de serviços

Publicidade

Uma rede de serviços voltada para melhorias na saúde do homem será construída nos estados e nos municípios. A medida é uma das ações previstas na Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem desenvolvida pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS).
A política tem por objetivo melhorar as condições da saúde masculina no país e acabar com os preconceitos. Em entrevista à Agência Brasil, o presidente do CNS, Francisco Batista Júnior, afirmou que a falta de preocupação do homem com a sua saúde é fruto de uma sociedade preconceituosa. Para ele, a reeducação é uma solução para o problema.
“Temos que investir numa nova educação voltada para a superação do preconceito para que o homem admita as suas fragilidades e passe a se preocupar com a sua saúde física e mental”, disse.
De acordo com Batista Júnior, a política abrange parcerias entre os órgãos de saúde e as instituições que trabalham nas áreas de educação e segurança, para que sejam alcançados os objetivos previstos na medida.
Na comparação com a mulher, o presidente do CNS afirmou que a situação da saúde masculina no Brasil exige mais preocupação das autoridades públicas devido ao atual quadro de desinformação. “A situação da saúde do homem no Brasil é dramática. O número de mortalidade dos homens é mais alto que o das mulheres. Eles [homens] procuram dez vezes menos o serviços de saúde, sofrem pelo preconceito e falta de informação sobre a sua saúde, o que dificulta no desenvolvimento do serviço prestado,”, afirmou
Para Batista Júnior, a falta de interesse do homem em procurar um médico para a prevenção de doenças causa grandes prejuízos para ele e para a população. “Há índices altíssimos de câncer de próstata, intestino e estômago entre os homens. Em decorrência da negação dos homens para se subterem aos exames periódicos. A falta de interesse na prevenção de doenças masculinas traz um custo muito elevado para a população não só econômico, mas também social”, disse.
A proposta para a implantação da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem, elaborada desde 2008 pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS), foi aprovada quarta-feira (8)  pelo conselho.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta