Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Roche doa tratamento de AIDS para o Ministério da Saúde

Publicidade

A Roche está doando ao Ministério da Saúde – Programa Nacional DST/AIDS – 25,6 mil frascos do medicamento Nelfinavir (Viracept). A primeira parcela do medicamento já está em Brasília pronta para ser entregue ao governo. O remédio é utilizado no coquetel para o tratamento de crianças que desenvolveram a doença. O último levantamento feito pelo Ministério da Saúde mostra que existem no Brasil mais de 6.000 doentes de até 13 anos. O compromisso da Roche é oferecer a medicação a todas crianças brasileiras HIV positivas indicadas para receber o tratamento em 2004.
A doação feita pela Roche é fruto do acordo com o governo que possibilitou a redução de preço do Nelfinavir, assinado no final do ano passado. A empresa ofereceu um desconto acumulado de 72,6% no preço do produto que faz parte do coquetel utilizado no tratamento de pacientes com AIDS desde 1998. “Com esta doação de Viracept a Roche confirma seu compromisso social com o Brasil e com as crianças infectadas inocentemente com Aids”, diz Ernest Egli, presidente da Roche no Brasil. “Esperamos que a parceria com o Ministério da Saúde tenha continuidade nos próximos anos, otimizando os tratamentos para combater esta terrível doença”.
Segundo Marinella Della Negra, infectologista especializada em crianças do Hospital Emílio Ribas, desde meados dos anos 90 o Brasil está mais vigilante para a transmissão vertical do vírus de mãe para filho. O exame pré-natal identifica o vírus precocemente. Ao nascer, as crianças são encaminhadas para centros de referência e, a partir daí, são acompanhadas. Os primeiros sintomas da doença nas crianças são infecções bacterianas de repetição como pneumonias e diarréias, entre outras.
Depois de atingir determinado nível de imunodeficiência, dá-se início ao tratamento. O Nelfinavir, da Roche, está entre as drogas que permitem que a carga viral mantenha-se baixa e a contagem de CD4 mantida a níveis adequados. “O tratamento permite que a criança leve uma vida normal”, afirma Marinella Della Negra.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta