Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Rigor contra as más escolas de medicina

Publicidade

Já não era sem tempo de uma medida enérgica ser tomada, como aconteceu com o bloqueio dos vestibulares de alguns cursos de medicina de qualidade insuficiente anunciado em 4 de dezembro pelo Ministério da Educação (MEC). O processo de abertura indiscriminada de escolas médicas estende-se há quase duas décadas. É necessário colocar um basta em situação tão grave. Cada aluno formado em uma faculdade de medicina de má qualidade atenderá a milhares de pacientes, colocando-os em risco. É inadmissível que não sejam tomadas urgentemente ações efetivas com relação ao problema.
A Associação Médica Brasileira apóia a iniciativa do Ministério da Educação e entende que a sociedade deve fazer o mesmo. Certamente foram encontradas pelo MEC dificuldades enormes para ultrapassar o bloqueio que é interposto pelos interesses da indústria do ensino superior.
Espera-se que outras medidas sucedam a essa. O momento é mais que oportuno para levar à votação no Congresso Nacional o substitutivo aprovado pela Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados ao PL 65/2003, que trata da autorização e da renovação do funcionamento de cursos de medicina.
* José Luiz Gomes do Amaral é presidente da Associação Médica Brasileira
As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicadas refletem unicamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da IT Mídia ou quaisquer outros envolvidos nesta publicação.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta