Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

RETROSPECTIVA 2007: Relembre aqui os fatos de Novembro

Publicidade

POLÍTICA

Outra ação da Polícia Federal

A Polícia Federal e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária deflagraram uma operação para identificar pontos de falsificação e comercialização irregular do medicamento Glivec, utilizado no tratamento da leucemia e produzido pelo laboratório Novartis Biociências S.A. Foram expedidos 11 mandados de busca e apreensão. A investigação, que teve início em janeiro, foi realizada nas cidades do Rio de Janeiro e de Porto Alegre.

Alguém tem que ceder

A pressão pela votação da prorrogação da CPMF deu o tom político no mês de novembro. Depois da aprovação do projeto na Câmara dos Deputados, o Senado demonstrou resistência para votar o projeto.

Primeiro, a oposição se mostrou absolutamente avessa à prorrogação do imposto, alegando que só votaria o projeto se houvesse redução da alíquota. Depois, a relatora da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, senadora Kátia Abreu (DEM -TO), preparou um relatório pedindo o fim da contribuição.

Diante das dificuldades, o governo teve que rever seu posicionamento. Para não correr o risco de ter o texto do projeto alterado, o que provocaria uma nova votação na Câmara e impediria que a votação da CPMF fosse concluída ainda em 2007, os ministros da Fazenda, Guido Mantega, e (até então) das Relações Institucionais, Walfrido dos Mares Guia, anunciaram a redução gradual da alíquota do imposto. A proposta é que, até 2011, a taxa sofra uma redução de 0,02% anualmente. O governo se comprometeu a fazer a alteração por meio de Medida Provisória a ser editada em janeiro.

Com a cessão do governo, a CCJ reprovou o relatório de Kátia Abreu e aprovou o projeto de prorrogação da CPMF. A previsão é que no início de dezembro o PL seja votado no plenário do Senado.

Argumentos e mais argumentos

Em defesa da prorrogação da CPMF, representantes do governo uniformizaram o discurso e foram a público demonstrar seus argumentos. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva argumentou que somente dez Estados brasileiros aplicam 12% de sua arrecadação na Saúde, conforme manda a Constituição, e que a arrecadação da CPMF faz diferença para o orçamento do setor.

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, numa reunião pública no Senado, disse que 40% dos recursos do setor são provenientes do imposto e que 80% dos procedimentos de média e alta complexidade são financiados pela taxa.

ECONOMIA

Investimento em Gases

A IBG (Indústria Brasileira de Gases) deu início as operações da nova fábrica em Guarulhos, que recebeu investimentos de R$ 5 milhões. A indústria passa a ter, em todo o País, 15 filiais. A fábrica está localizada nas proximidades do Km 211 da Via Dutra, favorecendo o atendimento às indústrias nas zonas leste e norte da capital paulista, na própria Guarulhos e ainda nas cidades do Alto Tietê.

INTERNACIONAL

O preço da guerra

Embora a pesquisa da American Society for Quality, realizada em março, mostrasse que 85% dos norte-americanos consideram os gastos em saúde mais importantes que a guerra, o presidente Bush insistiu em sua ofensiva no Iraque. O resultado da decisão pode ser desastroso. Um estudo realizado em novembro pelo grupo Médicos pela Responsabilidade Social mostra que os custos com os veteranos do Iraque podem chegar a US$ 650 bilhões.

Desigualdade na saúde

A desigualdade social tem reflexo também na saúde. De acordo com o representante da Organização Mundial de Saúde (OMS) no México, Philipe Lamy, os países menos desenvolvidos, que concentram 84% da população mundial, consomem menos de 11% dos gastos globais em saúde.

Ano bom para a GE

Em 2007, a GE dedicou seus investimentos para a aquisição de empresas e ampliação de suas operações. A companhia ampliou a fábrica de Xangai, na China, anunciou a construção de uma nova planta na Arábia Saudita, firmou acordo para a aquisição da Abbott Laboratories, por US$ 8,13 bilhões, e, até o fim de novembro, também havia negociado a compra da Versamed, especializada em ventilação para medicina intensiva, por US$ 40 milhões.

INVESTIMENTOS

Mulher em foco

A mulher foi o foco dos hospitais em novembro. Em São Paulo, o Hospital A. C. Camargo inaugurou um complexo de tratamento especializado em oncologia feminina, com investimentos de R$ 13 milhões. No setor privado, a Maternidade São Luiz anunciou a Unidade Cirúrgica do Neonato.

Um pouco distante da capital paulistana, o Hospital Evangélico de Sorocaba, em São Paulo, recebeu R$ 1,5 milhão do governo do Estado para concluir o Centro de Referência da Mulher, que conta com enfermaria, centro obstétrico e ambulatorial e UTI neonatal.

Promoção de Saúde

E, em Minas Gerais, a Unimed-BH anunciou a construção de unidade de saúde no município de Contagem, com investimentos de R$16 milhões. O público será diversificado e integrará o Centro de Promoção da Saúde e um Pronto-Atendimento, com conclusão para o segundo semestre de 2008.

TECNOLOGIA

Aposta em BI

A Associação de Beneficência e Filantropia São Cristóvão, que inclui o Hospital São Cristóvão, Plano de Saúde e Recanto São Cristóvão, iniciou a implantação da solução de Business Intelligence da Execplan. O investimento realizado foi de R$ 200 mil.

Virtualizar para integrar

Buscando a integração das informações e uma melhor forma de gestão, a Secretaria de Saúde de São José dos Campos, no interior de São Paulo, apostou na tecnologia para obter mais eficiência na aplicação dos recursos no setor.

Para entregar o sistema próprio de ERP às 65 unidades de saúde, aos 220 consultórios médicos e aos 300 consultórios odontológicos, o órgão implantou a solução de virtualização Presentation Server, da Citrix Systems.  O projeto começou a ser implementado em julho de 2006 e foi concluído em setembro de 2007. O investimento total foi de R$ 4 milhões.

Universo paralelo

O Hospital A.C. Camargo, de São Paulo, deu início às suas atividades no Second Life, programa virtual em três dimensões que simula a vida real, com o objetivo de levar informação sobre câncer ao público. No hospital virtual, os avatares podem tirar dúvidas, registrar perguntas, e ainda conhecer a estrutura disponibilizada pelo hospital para o diagnóstico e tratamento da doença. Também é possível agendar consultas médicas por meio do Second Life.

Código aberto

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), do Ministério de Ciência e Tecnologia, aprovou a liberação de R$ 1,9 milhão para financiamento do projeto de desenvolvimento de um sistema de gestão hospitalar em código aberto. O Hospital Livre será arquitetado pela Secrel Soluções de Aprendizagem, pertencente ao grupo Secrel, em parceria com o Instituto Atlântico. O sistema piloto será  implantado nos hospitais geridos pelo Instituto José Frota, da prefeitura de Fortaleza (CE).

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta