Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

RETROSPECTIVA 2007: Relembre aqui os fatos de Junho

Publicidade

ECONOMIA

Aposta no setor odontológico

Visando a estratégia de crescer em média 20% pelo aumento do número de usuários, a Omint apostou em um plano odontológico. O plano deverá representar em torno de 30% das novas vendas da empresa. 

Investimentos em recursos próprios

A Medial Saúde anunciou o investimento de R$ 170 milhões em novos empreendimentos, como a construção de dois hospitais e um centro de diagnóstico em áreas nobres da cidade de São Paulo. O primeiro hospital será construído na região da Avenida Paulista e receberá investimento de R$ 65 milhões. A unidade terá 23 mil m2 e 300 leitos e deverá ser concluída em 2009. O recurso será financiado pela permuta imobiliária do Hospital Jaraguá, que pertencia à Amesp e será desativado. A operadora também construirá uma unidade hospitalar na região do Morumbi. A instituição terá 30 mil m2 e 350 leitos, receberá investimentos de R$ 85 milhões e será entregue em 2010. O centro de diagnóstico será instalado na região da Avenida Brasil e receberá investimento de R$ 20 milhões. A unidade entrará em funcionamento em 2008.

Maior participação em Raio-X 

INTERNACIONAL

Direito à Morte

Em junho, o ministro da Saúde do México, José Angel Cordova, declarou-se favorável ao projeto de Lei do Direito à Morte Digna, apresentado pelo Partido de la Revolución Democrática (PRD). O projeto regulamentaria a ortotanásia e caberia ao paciente decidir sobre o prolongamento artificial da vida em condições terminais.  Os hospitais também contariam com comitês de bioética, para discussão caso a caso, e, para evitar que a decisão seja tomada pelos familiares, haveria a expressão da vontade antecipada.

INVESTIMENTOS

Primeiros indícios

Em junho, o Hospital Bandeirantes deu os primeiros passos para a divulgação dos investimentos de R$ 30 milhões no futuro Hospital LeForte, que será inaugurado em 2008, no Morumbi. A festa de anúncio foi realizada na sede da IT Mídia, em novembro.

Mais tecnologia

O Hospital Alemão Oswaldo Cruz adquiriu um acelerador linear e um magneto de 1,5 Tesla. A instituição investiu R$ 8,3 milhões na atualização do parque tecnológico. Para não ficar para trás, o Hospital São Luiz investiu R$ 1 milhão na renovação tecnológica do parque de ultra-sons do Centro de Diagnósticos da unidade Itaim. Ainda entre as grandes instituições, a unidade Jardins do Hospital Albert Einstein adquiriu uma Ressonância Magnética de 1,5 Tesla, com diâmetro maior, comprimento de túnel reduzido e sistema de sonorização à escolha do paciente.

Maior participação em Raio-X 

A Philips fechou a aquisição da VMI Sistemas Médicos e reforçou seu posicionamento em diagnósticos, principalmente no mercado de Raio-X. Com a compra, a Philips passou a deter 49% do market share. Além de reforçar os negócios e penetração no mercado latino-americano, a Philips projeta um crescimento de 30% ao ano no faturamento em função do novo negócio.

POLÍTICA

Formação profissional

A formação dos profissionais médicos esteve em pauta durante todo mês de junho. Um relatório preparado pelo Conselho Nacional de Saúde demonstrou que o Brasil está em segundo lugar no ranking de países com mais faculdades de medicina, tendo 167 cursos abertos. Mesmo com a portaria 147, editada pelo Ministério da Educação, que trouxe novas regras para a abertura de novos cursos, quatro novas faculdades já haviam sido abertas até junho.

Preocupada com a discussão sobre a qualidade dos cursos, a Direção Executiva Nacional dos Estudantes de Medicina (Denem) criou um Código de Ética com 43 artigos. O código teve o apoio do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo e foi publicado no site da entidade.

Rol de procedimentos aprovado

O Projeto de Lei 3466/04, que cria o rol de procedimentos e serviços médicos para o setor de saúde suplementar com base na Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos, a CBHPM, foi aprovado pela Câmara das Deputados em junho. 

Educação em Saúde

Em junho, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou um decreto para a criação da Comissão Interministerial de Gestão da Educação na Saúde, composta por representantes dos ministérios da Saúde e da Educação, do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems), com o objetivo de orientar a formação em residência, especialização e pós-graduação em saúde de acordo com a realidade do País.

Também foi publicada uma portaria interministerial que instituiu, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa de Educação para o Trabalho em Saúde (PET-Saúde).

Profissionais do SUS

O Ministério da Saúde também editou uma portaria com novas diretrizes para o plano de carreira dos profissionais do SUS. A Portaria 1318 definiu os cargos de assistentes de saúde e especialistas em saúde e instituiu regras para a concessão de gratificações e adicionais salariais.

Os gestores federais do SUS também tiveram que seguir novos regras. Com a aprovação do Projeto de Lei 6411/05 no Senado, os gestores ficaram obrigados a prestar contas a cada três meses sobre a utilização dos recursos financeiros.

TECNOLOGIA

Controle de epidemias

Em junho, a IBM disponibilizou para a comunidade open-source o software Spatiotemporal Epidemiological Modeler (STEM), para avaliar e gerenciar o alastramento de doenças. A ferramenta levou três anos para ser desenvolvida e foi doada à comunidade para que cientistas e outros profissionais ligados a saúde pública pudessem desenvolvê-la e utilizá-la no controle de epidemias. O software é uma das plataformas chave utilizadas na Global Pandemic Initiative, um projeto executado pela IBM em parceria com mais de vinte instituições de saúde de todo o mundo.

Outsourcing de impressão

Os hospitais San Paolo e Bandeirantes, ambos de São Paulo, resolveram apostar na terceirização da impressão. O projeto do Bandeirantes foi desenvolvido pela Tecnoset e contou com 32 equipamentos multifuncionais da Lexmark e mais 10 impressoras do hospital para imprimir 285 mil cópias por mês.

Já o San Paolo optou pelo serviço da Compushop. O projeto incluiu 22 impressoras a laser e dois softwares: um para colher informações sobre impressões e outro para gerenciar os dados on-line, como os custos de impressão de cada acesso. Com a terceirização do serviço, o San Paolo reduziu o número de impressões mensais de 200 mil para 120 mil.

Implantações de BI

O grupo Diagnóticos da América implantou o sistema de Business Intelligence da MicroStrategy para poder conceder às operadoras e seguradoras de saúde um perfil dos clientes e os exames realizados. A empresa adquiriu 22 licenças da ferramenta.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta