Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

RETROSPECTIVA 2007: Relembre aqui os fatos de Janeiro

Publicidade

INTERNACIONAL

Cobertura de medicamentos

Uma pesquisa da Harvard Medical School mostrou que, o que no curto prazo parece economia, no longo prazo acaba saindo caro. O estudo apontou que se as seguradoras de saúde norte-americanas oferecessem cobertura completa para a compra de medicamentos por parte de pacientes cardiopatas, economizariam US$ 2,5 bilhões por ano nos custos com tratamentos e evitariam 4.736 mortes no período. A cobertura de medicamentos representaria um custo médio de US$ 550 por paciente, mas geraria uma economia de US$ 1.731 por evento.

Desperdício no Reino Unido

A fila de espera por leitos nem sempre é sinônimo de falta de infra-estrutura. Uma pesquisa do The Institute for Public Policy Research, do Reino Unido, mostra que há um problema de gestão dos recursos: 13 mil leitos do NHS (National Health Service) são ocupados desnecessariamente todos os anos. De acordo com o estudo, o país economizaria £ 975 milhões se trabalhasse para diminuir o tempo de internação e também conseguiria diminuir as filas de espera e os gastos com tratamentos. A sugestão do Instituto é que os serviços especializados sejam oferecidos em menos lugares e que os centros de trauma funcionem apenas nos hospitais.

ECONOMIA

Mercado odontológico e Diagnósticos Médicos

Depois de entrar para o Novo Mercado da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), a Medial Saúde decidiu incrementar seu plano de expansão e partir para a aquisição de um plano de saúde odontológico – o E-Nova, em janeiro. A aquisição foi no valor de R$ 2,1 milhões. Já o  Fleury Medicina Diagnóstica e a URP Diagnósticos Médicos – clínica especializada em exames de imagem, se uniram para proporcionar maior comodidade para os pacientes da unidade. A coleta de material passou a ser realizada na URP e analisada pelo Fleury.

Capacitação e tecnologia

A WPD Tecnologia passou, no início do ano, a integrar a Rede Paex, da Fundação Dom Cabral. A rede vinculada à Fundação integra grupos por meio da metodologia de articulações. O objetivo da integração foi o de potencializar o desenvolvimento de cada empresa, por meio da implementação de tecnologias de gestão, da capacitação e treinamento de executivos, do intercâmbio de experiências realizadas no interior de cada grupo, enriquecendo e disseminando as informações e resultados obtidos entre empresas de diversas regiões, setores e culturas.

Crescimento no mercado wireless

A taxa de crescimento anual do mercado wireless de tecnologia em saúde nos Estados Unidos foi de 33%, o que representa US$ 7 bilhões, de acordo com o resultado do estudo americano Kalorama Information, divulgado em janeiro. Segundo dados da pesquisa, em 2005 o mercado valia US$ 1,8 bilhão. A expectativa é de que tecnologias como Zigbee, RFID e WWAN tenham crescimento exponencial.

INVESTIMENTOS

Inaugurações e Investimentos

O mês de janeiro foi marcado pelo anúncio de inauguração do Hospital Regional do Vale do Paraíba, que investiu R$ 70 mil em uma unidade de fisioterapia. Acompanhando a onda, o Hospital Dr. Dório Silva, de Vitória (ES), destinou R$ 600 mil para a compra de equipamentos diversos, tais como respiradores, monitores e macas hidráulicas para Pronto-Socorro, por exemplo. No Rio de Janeiro, houve a inauguração de uma Farmácia Popular, pelo Ministério da Saúde. O Hospital de Clínicas de Porto Alegre recebeu R$ 3,5 milhões em equipamentos para ampliar e qualificar os recursos técnicos para diagnóstico por imagem.

Ano novo com pendências do ano anterior

No Rio Grande do Sul, o Instituto de Previdência do Estado repassou R$ 140 mil para a Santa Casa de Caridade de Alegrete, para quitar os pagamentos dos salários do mês de dezembro de 2006.

POLÍTICA

Planos e orçamentos

O ano de 2007 começou com muitas promessas orçamentárias e planos de melhorias e ampliação dos serviços. Com a criação do Plano de Aceleração do Crescimento para o Brasil, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu manter o orçamento para a saúde em R$ 46 bilhões.

Rede de Equivalência Farmacêutica

Foi em janeiro que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) instituiu a criação da Rede Brasileira de Centros Públicos de Equivalência Farmacêutica e Bioequivalência, por meio da RDC 221. O objetivo era desenvolver ações voltadas para a estruturação, organização e consolidação dos centros públicos, além de integrá-los com os laboratórios públicos oficiais produtores de medicamentos que abastecem o Sistema Único de Saúde.

Os Estados também fizeram suas contas

Em São Paulo, a Secretaria Estadual de Saúde anunciou a destinação de R$ 1,1 bilhão para os 22 hospitais e centros de Saúde geridos por Organizações Sociais de Saúde. Delas, o Hospital Mário Covas, em Santo André, recebeu o maior investimento: R$ 83 milhões.
No Rio de Janeiro, o governador Sérgio Cabral resolveu olhar mais de perto para as instituições de saúde e determinou a criação de uma planejamento para a reestruturação do Instituto Estadual de Infectologia São Sebastião, para o Hospital de Ortopedia Anchieta e para o Hospital Getúlio Vargas. Além disso, depois de uma vistoria realizada no Hospital Albert Shweitzer, em Realengo, pela Secretaria de Saúde, o governo do Estado conseguiu o envio de quatro toneladas de medicamentos por parte do Ministério da Saúde para a instituição.
No Mato Grosso, o governo do Estado destinou R$ 2,7 milhões ao Hospital Geral Universitário de Cuiabá, para ampliar o atendimento de alta complexidade pelo Sistema Único de Saúde na região.

TECNOLOGIA

Distribuição Informatizada

A Secretaria de Estado da Saúde do Paraná implantou, em janeiro, o Siclon, software do Ministério da Saúde para controle e distribuição de medicamentos utilizados no tratamento da Aids. A solução foi instalada nas 36 unidades básicas de saúde que distribuem o medicamento. Também modernizando a infra-estrutura das organizações não-governamentais que trabalham nos programas assistenciais aos portadores do HIV, o Programa Nacional de DST/ Aids do Ministério da Saúde doou 50 computadores para as entidades. 

Informação ao público

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária reformulou o site da Ouvidoria em janeiro, com o objetivo de informar melhor a população. Foram incluídos canais de informações para análises de casos de relevância pública envolvendo questões de vigilância sanitária.

Veja os outros meses:

Fevereiro

Março

Abril

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta