Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Resistência a antibióticos em bactérias

Publicidade

Essa noticia esta muito otimista demais dizendo que as bactérias foram bloqueadas nessa “descoberta “dos pesquisadores norte-americanos Primeiro detalhe importante, a descoberta do CRISPR que é um acrônimo Clustered, regularly interspaced, short palindromic repeat foi feita em 1987 Essa estrutura genomica foi observada na bactéria quase inofensiva Escherichia coli .Depois teve inúmeros nomes diferentes sendo que esse nome atual foi dado em 2002 .A CRISPR teoricamente seria capaz de impedir o aumento da resistência a antibióticos em estafilococos patogênicos. Com os plasmídeos “desarmados”, isso é com os loci( plural de lócus ou locais), aonde foi feita a destruição do próprio DNA da bactéria, a resistência não pode mais ser transmitida para outra geração de bactérias que já incorporaram essa resistência aos antibióticos, ficando novamente frágeis podendo serem destruídas pelos antibióticos. Tais novos genes associados ao CRISPR são chamados de cas genes, pois existem 40 integrantes do CRISPR/Cas system, que infelizmente não conseguiram demonstrar nenhuma eficácia concreta bloqueando as bactérias Tais novos genes associados ao CRISPR são chamados de cas genes, pois existem 40 integrantes do CRISPR/Cas system, que infelizmente não conseguiram demonstrar nenhuma eficácia concreta bloqueando as bactérias

Prof. Dr. Jose Knoplich, PhD em Saúde Publica pela USP, editor dos sites www.ram.uol.com.br e www.intramed.uol.com.br

knoplich@uol.com.br

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta