Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Reator capaz de produzir cintilografias custaria R$1 bi

Publicidade

Seis países no mundo produzem o molibdênio, substância usada no exame de cintilografia, que detecta doenças no coração, ossos, rins e pulmões, além de casos de câncer e Mal de Alzheimer. No entanto, problemas nos reatores nucleares em metade desses países (Canadá, Holanda e Argentina), causaram a falta do elemento, o que acabou prejudicando as 3,5 milhões de cintilografias realizadas por ano no País. Para tentar amenizar o problema, o governo brasileiro está importando uma substância similar, mas que não pode ser usada em todos os exames desse tipo.
Outra medida é a construção de um reator capaz de produzir a substância por aqui, o que custaria cerca de R$ 1 bilhão. No entanto, como o Brasil passou 15 anos sem investir no programa nuclear e retomou o programa há apenas dois anos, o projeto ainda está no papel.
Você tem Twitter? Então, siga http://twitter.com/SB_Web e fique por dentro das principais notícias do setor.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta