Semana da Saúde 2017 Semana da Saúde: discuta os principais assuntos de Tecnologia da Informação em 10 Webinars. Reserve seu lugar! Clique aqui

Qualidade Assistencial e Segurança do Paciente

Publicidade

Melhorar a saúde do paciente ao invés de só tratar enfermidades pode ter resultados animadores. É o que prova o Programa Viver Bem, criado e implementado pelo Grupo São Francisco.

O projeto tem como objetivo principal proporcionar qualidade de vida ao cliente. ‘’Quando focamos na saúde do nosso usuário oferecendo suporte, informações e meios para que a pessoa se apodere do cuidado, geramos uma maior satisfação com o plano”, explica o CEO da instituição, Renato Lopes.

A empresa estabeleceu uma relação onde todos os envolvidos saem beneficiados. Quando os clientes têm uma qualidade de vida e saúde maior, aqueles que necessitam de suporte médico ganham um atendimento melhor. Além disso, a instituição garante a fidelização do cliente, reduz seus custos assistenciais e assim, pode investir em outras áreas da saúde.

Para que o projeto se tornasse realidade, o Grupo São Francisco fortaleceu o Núcleo de Promoção e Gestão em Saúde que desenhou o programa, definiu o público alvo e o colocou em prática. “Iniciamos em 2014 com os pacientes mais idosos e aqueles hiper consultadores. Na época, chegamos a 8 mil usuários monitorados. No ano seguinte, passamos para 25 mil monitoramentos. Agora, em 2016, já atingimos 40 mil usuários e estamos abrindo a possibilidade de participação para todos que possuem plano São Francisco”, conta o CEO.

A empresa também descobriu uma forma do programa atingir mais pessoas sem aumentar os custos. A solução foi o SF BIOaps, um aplicativo mobile de monitoramento. Com a tecnologia, é possível acompanhar todos os momentos do dia do paciente, ficando à disposição para intervir ou apenas acompanhar em tempo real sempre que necessário. Assim, profissionais de diversas áreas dão orientações e cuidam da saúde dos clientes.

Como resultado, além da qualidade de vida do usuário melhorar, houve redução de desperdícios, regulação das entradas nos serviços e consequente queda nos custos.Os índices de utilização dos serviços, ao comparar a mesma população antes e depois do Programa, caíram consideravelmente. Houve uma redução de 11,25% em consultas ambulatoriais, 53,14% de entradas no pronto atendimento, entre outras quedas que reduziram os custos dos pacientes em 46,71%. Para o futuro, é esperado que todos os usuários do Grupo São Francisco sejam beneficiados.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta