Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Preços de medicamentos podem cair até 9%

Publicidade

O governo e a indústria farmacêutica retomaram as negociações em torno da redução da carga tributária sobre os medicamentos. O principal alvo é o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Entre as propostas, está a redução da alíquota média atual, de 17,5%, para 12% ou mesmo para a casa dos 6%. No primeiro caso, os preços de remédios de grande consumo poderão cair quase 9%.
Deixe o seu comentário sobre esta notícia
Tem mais informações sobre o tema? Então, clique aqui
O objetivo é aumentar a oferta de remédios à população via queda de preços, diminuir os custos de tratamentos e combater a sonegação.
 
Reuniões técnicas
 
Nesta quinta-feira, o Grupo Executivo do Complexo Industrial da Saúde (Gecis), que congrega vários ministérios e é coordenado pela pasta da Saúde, se reuniu para estudar estratégias de convencimento dos estados sobre a necessidade de se reduzir a carga de tributos. No dia 6, um representante do grupo esteve na Federação Brasileira da Indústria Farmacêutica (Febrafarma) para analisar números e discutir a proposta.
 
– A carga tributária sobre remédios no Brasil é escandalosa. Tributa-se fortemente um bem destinado à saúde das pessoas – disse Ciro Mortella, presidente da Febrafarma.
 
Um estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) revelou que os remédios têm uma carga tributária média de 35,7%. Desse total, o ICMS é o que mais pesa, com alíquota média de 17,5%. Medicamentos de uso animal, por exemplo, têm tributação de apenas 14,3%. A maior alíquota de ICMS é a cobrada no Rio (chega a 19%). Em São Paulo, é de 18%. A maior parte dos estados cobra 17%. 
 

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta