Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Portal quer criar mapa da oncologia pediátrica

Publicidade

Portadores de câncer e oncologistas passam a contar, a partir de hoje, com uma nova ferramenta para auxiliar no estudo e no tratamento da doença. O Portal do Câncer Infantil. Lançado em São Paulo, o portal pretende criar um mapa da Oncologia Pediátrica no Brasil, um banco de dados multimídia com registros de todos os tipos de câncer existentes, informa a Agência Fapesp.
O serviço on-line será alimentado por três institutos de pesquisa, o Grupo de Informática Médica da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), o Laboratório de Sistemas Integrados (LSI), da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) e o Instituto de Educação Médica Continuada (Edumed), de Campinas.
?A intenção é que os médicos utilizem o portal para auxiliar no tratamento de seus pacientes. O sistema de informação médica estará configurado para atender as peculiaridades de cada tratamento?, disse Marcelo Zuffo, coordenador executivo do projeto Rede Piloto em Telemedicina para Oncologia Pediátrica
Além do cadastro de milhares de pacientes, o portal terá também uma ferramenta que permitirá a visualização e transferência de tomografias computadorizadas pela internet. ?Será possível analisar exames de qualquer ponto do Brasil e do mundo?, disse Zuffo, que também é professor de Eletrônica Interativa da Escola Politécnica.
O Portal do Câncer Infantil terá um amplo sistema de credenciamento dos usuários, dividido em quatro categorias: pacientes, médicos, serviços e gerenciadores de dados. Para utilizar os serviços, será preciso fazer um registro, cujos dados serão gerenciados pela Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (Sobope).
A Sobope está constituindo um comitê gestor, vinculado ao Conselho Federal de Medicina, que terá a função de analisar e permitir a inclusão das pesquisas e conhecimentos adquiridos no site, além de desenvolver o Estatuto do Comitê Gestor do portal, que ficará responsável pelo credenciamento dos pesquisadores no site.
?O projeto atende a padrões internacionais de execução e nós estamos implementando um sistema completo de segurança para garantir a individualidade do médico e do paciente. Trata-se de uma questão fundamental, pois estamos tratando de vidas?, disse Zuffo.
A Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), agência de fomento do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), concedeu R$ 1,9 milhão ao projeto, para viabilizar a infra-estrutura do portal e desenvolver pesquisas sobre a implementação nacional do banco de dados.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta