Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Pesquisadora analisa índice de acertos em exame

Publicidade

Uma tese de doutorado defendida na Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista (UNESP), pela médica Sonia Marta Moriguchi, analisou os índices de acerto da cintilografia, um dos exames complementares à mamografia quando esta apresenta-se inconclusiva no rastreamento do câncer. O estudo registrou, dos 111 tumores malignos e 47 benignos estudados, índice de acerto da cintilografia em 89% nos diferentes tipos de câncer que acometem a mama e 93% entre os carcinomas mais freqüentes e agressivos, os ductais.

A abordagem principal do estudo foi a proposta de cálculo matemático de um índice de concentração da substância sestamibi[99mTc] – utilizada na cintilografia – no tumor que indicasse malignidade. Os resultados mostraram que índices maiores são observados em tumores malignos e mais agressivos. Segundo a médica, a inclusão de um valor numérico que sugira a presença do carcinoma na descrição do laudo do exame é muito importante, pois a análise deixa de ser somente subjetiva.
A partir da divulgação desses resultados, a pesquisadora acredita que oferece aos médicos maior segurança para solicitarem a cintilografia. A identificação de uma lesão suspeita indica a necessidade rápida de realização da biópsia para a confirmação diagnóstica.
Foi observada uma taxa global de 11% para falsos positivos e negativos; esse valores indicam que apesar de um bom método diagnóstico, a cintilografia apresenta limitações, não sendo indicado para o rastreamento e sim como exame complementar à mamografia. Por sua vez, a mamografia, embora seja o método de imagem mais seguro para o rastreamento do câncer, pode apresentar-se inconclusiva nas condições de aumento da densidade e alteração da arquitetura habitual da mama, casos em que a cintilografia pode ser indicada.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta