Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Pesquisador americano atesta segurança em terapia gênica

Publicidade

Pesquisador da fibrose cística há mais de dez anos, William Guggino, da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, vem tentando responder como corrigir a alteração encontrada no cromossomo 7 quando a doença for detectada. Apesar de acreditar na terapia dos genes, e ter conseguido muitos avanços nos últimos anos, o pesquisador norte-americano sabe que existem ainda muitos desafios. Segundo ele, é necessário o desenvolvimento de vetores mais eficientes, que possam levar o gene sem defeito para o interior das células. Dados apresentados pelo pesquisador em uma conferência realizada durante a Reunião Anual da Federação de Sociedades de Biologia Experimental (Fesbe), encerrada no último dia 27, atestaram que o quesito segurança do procedimento já foi obtido e que o obstáculo da toxicidade da terapia gênica parece ter sido ultrapassado.
Trata-se de um método que utiliza um adenovírus para introduzir uma cópia do gene normal, sem a mutação que causa a fibrose cística, testado inclusive em 200 pessoas. Para o pesquisador se esta segurança continuar sendo tomada e os vetores se tornarem mais eficientes, a cura para a fibrose cística, colesterol e alergias pode estar próxima.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta