Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Pesquisa da Fiocruz investiga benefícios da revacinação com BCG

Publicidade

Dados preliminares do Instituto de Saúde Coletiva (ISC) da Universidade Federal da Bahia (UFBA) revelam que a vacina BCG (contra a tuberculose) confere pouco menos de 50% de proteção. É um percentual pequeno, mas importante, já que a vacina protege principalmente as crianças recém-nascidas e contra as formas extra-pulmonares da tuberculose, que costumam ser as mais graves. O Centro de Pesquisa Gonçalo Moniz (CPqGM), unidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) na Bahia, realizou um estudo para checar se a revacinação com BCG aumentaria alguns parâmetros imunológicos associados à proteção contra a Mycobacterium tuberculosis, a causadora da doença. Os resultados obtidos sustentam que sim, informa a assessoria de imprensa da Fiocruz. A proteção conferida pela BCG varia de país para país. Geograficamente, a eficácia da vacina é baixa perto da linha do Equador e aumenta em direção aos pólos. Mas não havia um estudo populacional sobre a eficácia da vacina no Brasil. Em 1997, o ISC/UFBA, sob a coordenação do médico Maurício Barreto, teve a iniciativa de investigar cerca de 300 mil crianças, de sete a 15 anos, que moravam em Salvador ou Manaus e freqüentavam escolas da rede pública.
A presença daquela cicatriz característica no braço direito indica que a criança tomou a BCG. Os pesquisadores têm acompanhado meninas e meninos que receberam ou não a vacina ao nascer. O objetivo é determinar, ao longo do tempo, quantas em cada grupo desenvolvem tuberculose. Além disso, algumas crianças foram escolhidas randomicamente para a aplicação ou não de uma segunda dose da BCG. A idéia é verificar se a revacinação produz uma proteção adicional contra a tuberculose, cuja incidência no Brasil se concentra na faixa etária de 15 a 30 anos.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta