Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Pedro II estará em pleno funcionamento até dezembro

Publicidade

O Hospital Pedro II, reinaugurado em agosto de 2010, após três anos de obras de modernização, estará funcionando plenamente até dezembro deste ano. A institução está instalada nas dependências do complexo hospitalar do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP), em Recife (PE).

Estão em funcionamento os serviços de hemodiálise para adulto, radioterapia, reabilitação motora e medicina nuclear – este último com a tecnologia PET/CT, único hospital 100% SUS do país a oferecer esse serviço. Até o fim do ano, deverão ser instalados a Unidade Geral de Transplante, com transplantes de coração, rins, pâncreas, córnea, medula óssea e fígado, a unidade de cuidados paliativos (primeira do SUS) no País, clínica médica e oncológica, além das UTIs clínicas, de neurocirurgia e cardíaca.
O restauro e compra de mobiliário custaram R$ 24,3 milhões, fruto de doações. Para equipar os prédios, foram gastos mais R$ 13 milhões, sendo, desses, R$ 6 milhões oriundos de verba de emenda parlamentar. Com o funcionamento total, o IMIP passa a disponibilizar para a população carente da região cerca de 200 novos leitos e o número de internamentos, por ano, subirá. “Anualmente, 48 mil pessoas são internadas no Imip. A pretensão é aumentar para 57 mil. As consultas, que hoje atingem 60 mil, devem acompanhar o crescimento”, avalia o presidente do IMIP, Antonio Carlos Figueira.
Por iniciativa deste Instituto, o Hospital Pedro II foi tombado como patrimônio histórico de Pernambuco, através da Fundarpe, para que a estrutura física não seja alterada. A obra de restauro e modernização custou R$ 24,5 milhões, com parceria dos governos federal, estadual e municipal, além do apoio da iniciativa privada.
O Hospital Pedro II dispõe, no subsolo, de um centro de reabilitação física e motora. A área mede 610 metros quadrados e prestará assistência a pessoas com deficiência física. O prédio abriga uma unidade de medicina nuclear, oferecendo exames com tecnologia PET-CT para detecção e diagnóstico precoce de tumores, além de serviços de radioterapia e hemodiálise para adultos. No primeiro andar, ficarão a clínica médica, oncologia, unidade de cuidados paliativos e a UTI clínica. Já no pavimento superior, serão instaladas a unidade de transplantes e UTI, além de Neurocirurgia e Cirurgia Cardíaca.
Revitalização valorizou projeto original – A revitalização do Hospital Pedro II baseou-se no projeto original do arquiteto Mamede Alves Ferreira, datado de 1847. De acordo com o restaurador do projeto, o arquiteto Jorge Passos, o conceito principal buscou valorizar o trabalho original. “Eliminamos tudo que não tinha valor do projeto”, explicou. Ele informou que as atividades do centro médico se adaptaram a obra. “A função hospitalar ficou mantida, mas algumas atividades necessitaram de adaptações, a exemplo das máquinas de radioterapia. Houve discretas alterações no projeto original”, informou.
*Com informações do CFM
Você tem Twitter? Então, siga  http://twitter.com/SB_Web e fique por dentro das principais notícias do setor.
 

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta