Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

PB: Mais atenção para medicina especializada

Publicidade

Zé Maranhão (PMDB) e Ricardo (PSB) disputam o cargo de governador para Estado da Paraíba. O candidato do PMDB aparece à frente nas pesquisas com 53% das intenções de voto. Em segundo lugar está Coutinho com 31% afirma pesquisa realizada pelo Ibope em 24 de agosto e registrada no TRE/MS sob o protocolo nº 26522/2010 e no TSE sob o registro nº 25670/2010.

Com uma vantagem de 20 pontos percentuais em relação ao candidato do PSC, Zé Maranhão destaca em seu plano de campanha a necessidade da redução da taxa de mortalidade infantil no estado, fomentar políticas de incentivo e valorização dos profissionais da saúde e a reestruturação da rede estadual de urgência e emergência da Paraíba. Abaixo estão as principais propostas do candidato para a área da saúde.

  • Redução da mortalidade materna e infantil.
  • Conclusão, construção, recuperação, ampliação e manutenção de hospitais e Unidades Mistas de Saúde: 15 hospitais / UMS.
  • Reestruturar a Rede Estadual de Urgência e Emergência, implantando o Hospital de Trauma de Campina Grande, reorganizando a sede do SAMU, construindo e equipando as Unidades de Pronto Atendimento/UPAs e Salas de Estabilização/SE.
  • Ampliar a Rede Especializada de Gestação de Alto Risco, conforme as necessidades estratégicas do Estado.
  • Reestruturar a Rede Estadual de Alta Complexidade em Oncologia e construir o Centro de Diagnóstico do Câncer em João Pessoa assim como a unidade de Oncologia de Patos.
  • Reestruturar a Rede Estadual de Terapia Nutricional.
  • Reestruturar a Rede Estadual de Alta Complexidade em Tratamento da Obesidade (Cirurgias Bariátricas).
  • Implantar a Rede Estadual de UTI Neonatal nas maternidades situadas nas macrorregiões de saúde.
  • Implantar quatro Centros de Referência à Saúde Integral da Pessoa Idosa.
  • Implantar a Rede Estadual de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador
  • Ampliar a rede de assistência às vítimas de violência, implantando e implementando 12 Comitês de Atendimentos Regionais.
  • Implantar a política de Atenção à Pessoa Portadora de Deficiência
  • Estruturar e ampliar a capacidade de execução de exames pelo LACEN Implantar o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos em Saúde (PGRSS) e os critérios de qualidade e biosegurança.
  • Melhorar a qualidade dos serviços de oferta de medicamentos aos pacientes do SUS.
  • Estabelecer política de incentivo e valorização dos servidores efetivos, reformulando o Plano de Carreira, Cargos e Remuneração.
  • Recompor o quadro funcional da Secretaria de Estado da Saúde.
  • Promover um amplo programa de qualificação da força de trabalho em saúde, tornando-o investimento estratégico para o fortalecimento do SUS – PB.
  • Ampliação e Modernização do Laboratório Industrial Farmacêutico do Estado da Paraíba – LIFESA.

Há menos de um mês das eleições os candidatos ao governo do estado de Pernambuco intensificam suas campanhas para arrecadar os últimos eleitores. Segundo pesquisa realizada em 30 de agosto pelo Ibope o candidato Eduardo Campos (PSC) aparece com 69% das intenções de voto, enquanto seu rival Jarbas Vasconcelos (PMDB) possui 20% eliminando a possibilidade de um segundo turno no estado.
De acordo com o candidato do PMDB, é fundamental que se construa um novo modelo de gestão na área da saúde em todo o estado e as políticas de saúde pública não devem se restringir somente a construção de novas unidades.
Para o candidato do PSB, Ricardo Coutinho, melhorar o acesso da população ao sistema de saúde, principalmente à rede especializada de atendimento e estruturar as unidades hospitalares do estado. Confira as propostas para a saúde do candidato do PSC.

  • Ampliar o acesso às ações e serviços de saúde para populações em maior situação de vulnerabilidade (negra, indígena, assentadas, quilombolas, em situação de prisão e LGBT).
  • Reorganizar a rede de hemoterapia existente para ampliação do acesso, considerando as macrorregiões de saúde, considerando também as demandas por hemoderivados e hemocomponentes.
  • Ampliar o acesso a rede especializada de atenção à saúde na Paraíba, com base ao perfil de saúde e doença, visando a desconcentração tecnológica em todo Estado, considerando as macro regiões de saúde.
  • Estruturar as unidades hospitalares no Estado, reorientando os perfis de atenção dos serviços com base na regionalização.
  • Utilizar a regionalização como estratégia de fortalecimento dos municípios, visando à desconcentração tecnológica das macrorregiões de João Pessoa e Campina Grande.
  • Implantar o Plano Diretor de Regionalização da Paraíba, pactuado com os gestores municipais da saúde.
  • Promover a descentralização dos serviços de média e alta complexidade em saúde, segundo as macrorregiões, com ênfase nas cidades de Patos e Sousa.
  • Implantar as Centrais Regionais de Parto, Oncologia e Terapia Renal Substitutiva (TRS).

Você tem Twitter? Então, siga https://twitter.com/ e fique por dentro das principais notícias do setor.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta