Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Parceria gera filmes inéditos para o SUS

Publicidade

A VideoSaúde Distribuidora da Fiocruz produziu uma série de cinco vídeos sobre o controle de doenças negligenciadas e os impactos na saúde pública, temas que, em geral, ganham pouco espaço nos veículos tradicionais de comunicação. Os vídeos, incluídos no projeto Comunicação em Saúde: Produção Audiovisual em Vigilância em Saúde, são resultado da parceria do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz), ao qual a distribuidora é vinculada, com a Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde (SVS/MS).

O lançamento é parte da programação da 10ª Mostra Nacional de Experiência Bem-Sucedidas em Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças (Expoepi), que começou nesta quarta-feira (24) e prossegue até sexta-feira (26), em Brasília.

Atendendo à demanda de produção da SVS/MS, a VideoSaúde produziu esta série de vídeos em sete meses, de abril a novembro de 2010. Para isso, inicialmente foi promovida uma oficina temática para os técnicos da SVS-MS, que durante a produção foram os responsáveis pela assessoria de conteúdo. Em seguida, a distribuidora definiu os roteiristas, os diretores e uma estratégia de produção dos vídeos em seis capitais (Belém, Campo Grande, Recife, Rio Branco, Goiânia e Brasília). Foram despendidos 80 dias de viagem da equipe, constituída por sete pessoas. A gravação do material bruto gerou 101 fitas de vídeo (4 mil minutos).

Neste primeiro ano da parceria, foram produzidos os seguintes vídeos: Vigilância em saúde nos desastres – A experiência de Rio Branco; A saúde em rede contra os surtos: diarréia e outros sintomas de contaminação; Leishmaniose visceral (LV) – conhecer para controlar; Esquistossomose – quebrando o ciclo; Doença de Chagas – ontem e hoje; e Institucional SVS/MS.

Para o coordenador de produção da VideoSaúde Distribuidora, Sergio Brito, a diversidade é a grande marca do projeto. “Temos a diversidade de temas; a diversidade dos espaços de gravações(cidades e os espaços da saúde); diversidade dos sotaques e falas e, além disto, a diversidade dos olhares – o jeito de filmar – dos diretores. Destacamos também a enorme disposição e empenho da equipe de produção. Por último, merece registro o êxito da parceria entre a SVS e o Icict/Fiocruz que possibilitou a realização do projeto de forma integrada e que aponta para continuidade da experiência para os próximos anos”, avalia Brito.

Vigilância em saúde nos desastres – A experiência de Rio Branco, com direção de Iêda Rozenfeld, mostra como a união entre município, estado e União no enfrentamento da enchente de 2006, no Acre, que atingiu 35 mil pessoas, evitou a perda de vidas humanas. Em A saúde em rede contra os surtos: diarréia e outros sintomas de contaminação, de Homero Teixeira de Carvalho, são abordados os surtos de rotavírus em Goiânia e de infecção alimentar em Brasília, em 2010.

De Eduardo Thielen, o filme Leishmaniose visceral (LV) – conhecer para controlar inclui depoimentos de médicos, veterinários e doentes sobre as ações de vigilância e prevenção da doença; Doença de Chagas – ontem e hoje avalia a transição epidemiológica da doença de Chagas em Belém; e Institucional SVS/MS aborda as ações desenvolvidas, em âmbito nacional, pela SV; Esquistossomose – quebrando o ciclo, de Silvia Santos, analisa as dificuldades de combate à doença.

“Esta série de vídeos resulta da parceria institucional estabelecida pela SVS/MS com o Icict, apontando para o necessário amadurecimento da atuação institucional conjunta de práticas permanentes de comunicação em saúde”, comenta o diretor do Icict, Umberto Trigueiros.

Você tem Twitter? Então, siga http://twitter.com/#!/sb_web e fique por dentro das principais notícias de TI e telecom.

 

 

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta