Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

OS NOVOS HÁBITOS DOS BRASILEIROS COM A CHEGADA DA GRIPE A

Publicidade

OS NOVOS HÁBITOS DOS BRASILEIROS COM A CHEGADA DA GRIPE A

Abril 2010 – Antes mesmo do início do inverno, a população brasileira já está atenta ao vírus da gripe A (H1N1), principalmente, porque novos casos de infecção já são noticiados pela imprensa e a campanha de vacinação promovida pelo Ministério da Saúde está em pauta. Um pouco diferente do ano passado, em que f oi preciso a mídia avisar massivamente sobre a necessidade de lavar as mãos como forma de evitar a contaminação do novo vírus, muitos brasileiros já adquiriam o hábito de manter a higiene.

E para dar continuidade a esta conscientização, facilitar e tornar o uso de itens de higienização mais prático, indústrias do setor de farmacêutico e de cosméticos se preocupam em criar produtos com embalagens fáceis de carregar e simples de usar. O ano passado milhões de frascos de álcool em gel foram comercializados e até faltou o produto nas prateleiras das farmácias em geral. Meses depois, várias empresas que apostaram na produção em alta escala, ficaram a ver navios com tanto produtos no estoque, já que as vendas foram caindo.

Dados da Nielsen comprovam isso. No início de 2009 foram comercializados 310 mil litros de álcool em gel no autosserviço no período de janeiro e fevereiro. Em julho e agosto (durante o inverno e justamente quando as estatísticas mostravam números alarmantes da gripe) o número aumentou para 953 mil litros. Já em janeiro de fevereiro deste ano, a quantidade diminuiu para 513 mil litros em janeiro de fevereiro deste ano. Ou seja, apesar da queda de vendas, muitos brasileiros mantiveram o hábito de utilizar o produto.

Felizmente este ano, todos têm tempo para se preparar. A indústria para fabricar, as farmácias para ter o produto na prateleira e os consumidores se conscientizarem que a higiene faz parte do dia a dia e não somente em tempos de números assustadores da gripe.

E mais um produto segue como tendência para se aliar ao álcool em gel. Muito utilizado em outros países, os lenços umedecidos antissépticos também começam a fazer parte da rotina brasileira. Até por uma questão de consciência ambiental, já que o uso de lenços umedecidos para uma rápida higiene é muito comum no exterior em substituição ao uso da água. São práticos e fáceis de carregar na bolsa, na lancheira ou na mochila das crianças.

Um novo hábito que deve crescer entre os brasileiros. Afinal, esse produto atende às necessidades de rápida higienização e falta de água disponível como, por exemplo, para a limpeza das mãos e rosto após práticas esportivas; limpeza da pele antes de iniciar uma reunião logo após ter enfrentado congestionamento; na praia para limpeza das mãos das crianças, após brincar na areia ou até no clube, após tomar aquele sorvete que sujou bem as mãos e em muitas outras situações.

Portanto, com campanha de vacinação do Ministério, indústria lançando produtos para facilitar a vida dos consumidores, farmácias abastecidas, e a população criando cada vez mais hábitos de higiene, ou seja, com todos colaborando, o vírus desta gripe não irá vencer esta batalha.

Alejandra Orenstein – Diretora de Marketing e Vendas da Lençobrás (www.lencobras.com.br), indústria especializada na fabricação de lenços umedecidos na América Latina. Possui experiência de mais de 15 anos no mercado de Personal Care nas áreas comerciais e desenvolvimento de produtos.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta