✉️ NEWSLETTER Assine gratuitamente e atualize-se semanalmente Assinar

Orizon apresentou estudos em evento de Farmacoeconomia

Publicidade

A sexta edição latino-americana da ISPOR – International Society for Pharmacoeconomics and Outcomes Research, maior fórum de discussão em farmacoeconomia do mundo, teve a apresentação de seis estudos da Orizon – empresa de inteligência e tecnologia líder em serviços para os segmentos de saúde, seguros e benefícios.  O evento, que terminou no domingo passado (17), no Hotel Transamérica em São Paulo, reuniu especialistas e pesquisadores para compartilhar informações do setor.

O trabalho da Orizon, com título “Um estudo observacional de banco de dados transversal para estimar os custos de hospitalização relacionados a doenças cardiovasculares no sistema de saúde privada brasileira”, foi um dos selecionados e concorreu à premiação de melhores painéis do evento.

Para esta edição, a área de Inteligência em Saúde da Orizon preparou outro estudo que foi uma análise dedicada a avaliar a representatividade e o quão completa são as informações geridas pela Orizon, em relação à Saúde Suplementar no Brasil. Em 90% das guias de internação estavam descritas informações-chave para a condução de estudos como CID (Classificação Internacional de Doenças), tempo de internação e detalhamento de despesas. Já em campos onde não existe a obrigatoriedade de preenchimento pela ANS, como sexo e idade, mesmo assim, em mais de 60% das guias, essas informações foram preenchidas.

“Os resultados demonstraram que a representatividade e completude de campos apresentados pela base de dados de contas médicas da Orizon são bastante satisfatórias, como também indicam o grande potencial para a utilização em estudos em farmacoeconomia, mesmo com as limitações inerentes à regulamentação vigente”, explica a pesquisadora da Orizon, Sarah Rodrigues. O estudo foi feito com base nos dados de contas médicas geridas pela Orizon durante o período de janeiro de 2016 a dezembro de 2016.

O evento da ISPOR é realizado três vezes ao ano e a Orizon já publicou 28 estudos em edições anteriores. “Grande parte destes trabalhos foi desenvolvida em parceria com indústrias farmacêuticas,devices e operadoras de saúde interessadas em desenvolver análises que abordam deste o monitoramento de uso e custo de cuidados em saúde à identificação de populações específicas e o impacto de doenças nos sistemas de saúde”, esclarece a pesquisadora da Orizon.

 

       
Publicidade

Deixe uma resposta