HIS17 É hora de mudar a saúde! Faça como seus colegas, participe do HIS. Quero participar da mudança

Obesidade avança 36% entre clientes de planos de saúde

Publicidade

De acordo com a Folha de São Paulo, dados de um estudo realizado pelo Ministério da Saúde e ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) identificam que a proporção de obesos entre usuários de planos de saúde cresceu cerca de 36% de 2008 para 2015, alcançando 17% em 2015.

A obesidade é compreendida como um fator de risco para doenças crônicas e cardiovasculares. É considerada obesa a pessoa que apresenta índice de massa corporal igual ou superior a 30 kg/m2.

Com relação ao impacto no setor de saúde, os dados revelam a necessidade de intensificar o debate sobre essa pauta com as operadoras de planos de saúde, em especial sobre novas possibilidades de estímulos para seus usuários adotarem padrões de vida mais saudáveis, em suas rotinas.

Nos últimos anos, a oferta de programas de prevenção e promoção à saúde por operadoras de saúde tem aumentado, entretanto muitos ainda são baseados em uma visão assistencial, surgindo assim a necessidade de práticas mais inovadoras.

De olho nesse nicho, a startup brasileira InPulse foi a responsável pela criação do PnPulse: uma espécie de marca-passo que libera hormônios de saciedade quando o alimento é ingerido.  O aparelho é dividido em duas partes, a primeira é implantada sob a pele e a outra é inserida no estômago.

A InPulse iniciou seus trabalhos em meados de 2011, porém o PnPulse começou a ser desenvolvido desde a metade de 2010. Com um investimento que já atingiu cerca de R$ 1 milhão, o dispositivo deve começar a ser testado clinicamente por volta do segundo semestre de 2017.

A estimativa é que a perda de peso seja compatível a de uma cirurgia bariátrica após o período de um ano de uso. A proposta é que os efeitos sejam perceptíveis nos primeiros meses. A ação do PnPulse é considerada mais lenta, no entanto será reversível e menos agressiva.

Outra startup investindo nesse mercado é a PushStart, criada em 2014 por brasileiros, que conta com o apoio de grandes empresas para o financiamento de seus projetos. O programa “Legião dos Superpoderes” engloba game digital e atividades offline, e contou com a participação de mais de 4 mil crianças.

Os produtos da empresa são baseados em narrativas que se prolongam e ganham capítulos complementares em distintas mídias, tais como: games, aplicativos e livros. Para gerar engajamento são incorporados métodos de gamificação, isto é, utiliza técnicas do universo de games, como competição, conquista de prêmios, transportando-as para o mundo real.

No mercado, o número de programas de prevenção e combate à obesidade, tanto por parte das operadoras, quanto das startups é ainda insuficiente para atender essa crescente demanda, mas como ideia é algo, que vem se consolidando, despontando novas soluções para o futuro.

       
Publicidade

Deixe uma resposta