5º CONAHP debaterá “O Hospital do Futuro: O Futuro dos Hospitais”. Faça já sua inscrição → Clique aqui

“O fee-for-service está instituído dentro do sistema Unimed”, diz Marcelo Monteiro

Publicidade

O modelo fee-for-service é utilizado há décadas em nosso país. Os valores praticados para os mesmos tipos de procedimentos podem variar entre diversos prestadores e fontes pagadoras. Remunera-se a quantidade, não a qualidade. Esse modelo continua a atender as necessidades do mercado de saúde? Para discutir essa questão conversamos com Marcelo Mergh Monteiro.

Monteiro é médico formado pela Universidade Federal Fluminense (UFF), já atuou como Presidente da Unimed Vale do Carangola, Presidente da Intrafederativa da Zona da Mata mineira. Atualmente é Membro do Conselho Confederativo da Unimed do Brasil, Presidente do Conselho de Administração da Seguros Unimed e Presidente da Unimed Federação Minas.

Com relação a Unimed Federação Minas, Monteiro ressalta que toda a gestão prioriza a qualificação, ou seja, a instituição, no decorrer de toda a sua história, tem como principal característica o investimento em seu capital humano e padronização de seus serviços.

Um braço da Federação é a Unimed Aeromédica que completa 20 anos e tem como finalidade conferir ao paciente segurança para a realização da remoção de um centro médico para outro.

Com relação à incorporação de novas tecnologias, Monteiro foi enfático em afirmar: “ Nós estamos em processo de implantação de um sistema de gestão que permite que tudo fique padronizado, desde o cadastro do cliente, o faturamento e até os relatórios”.

Ele reitera, que o investimento em tecnologia é muito caro, porém se faz necessário, já que o sistema de saúde é cheio de particularidades e carece de todos os benefícios que a tecnologia oferece. Afirma ainda que o retorno desse investimento se faz presente na satisfação do cliente, do médico e na informatização dos dados.

Sobre as melhorias promovidas internamente por uma boa gestão de qualidade, Monteiro declara que é um ciclo, e a base de tudo é a educação. Os pilares básicos deste tópico são treinamento e qualificação: “Quando eu invisto em qualidade na Federação, eu vejo que os meus serviços prestados são reconhecidos como melhores”.

O bate-papo avançou para a discussão sobre o modelo de remuneração fee-for-service e, de acordo com Monteiro: “ Hoje o fee-for-service está instituído dentro do sistema Unimed. Nós enxergamos a necessidade de evoluir para outro tipo, e essa discussão está sendo realizada por todo o sistema”. Na visão dele, a discussão não avançou por conta da resistência encontrada por diferentes partes da cadeia.

Monteiro se mostra otimista e, no decorrer da conversa, disse que essa é uma pauta em construção e precisa ser amadurecida, pois a mudança será inevitável, principalmente por toda a crise que o setor de saúde vem enfrentando.

Para o ano de 2017, a Unimed Federação Minas anseia continuar fortalecendo a parte institucional, assegurando para outras Unimeds uma gestão consolidada.

       
Publicidade

Deixe uma resposta