Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Novo método promete mais eficácia na detecção do câncer de útero

Publicidade

Um método diagnóstico do câncer de colo de útero que promete eficácia 60% superior ao papanicolau tradicional é a novidade desenvolvida pelo pesquisador catarinense César Ricardo Ribeiro Moccelin. “Desenvolvemos o líquido universal citológico (Luc), um fixador e conservador que facilita a visualização das células pré-tumorais e tumorais”, conta o pesquisador. De acordo com ele, uma das grandes vantagens do método de diagnóstico em meio líquido é o total aproveitamento do material recolhido para análise. Isso porque pelo sistema, batizado de Luc Base, o médico deve recolher as células com o uso de uma escova cônica, capaz de abranger toda anatomia do útero. Em seguida, a escova é mergulhada em um frasco com o Luc, que fixa e conserva as células. O frasco é levado a uma máquina chamada agitador vortex para que o conteúdo seja concentrado no fundo do recipiente. Depois retira-se o material com uma micropipeta (ferramenta que suga o líquido); leva-se a uma citocentrífuga, que o passa para a lâmina de análise. “Pelo método convencional pode haver perda de até 80% do material coletado. Já com o sistema Luc Base não há desperdício, o que aumenta a chance de identificar as células pré-cancerígenas”, destaca Moccelin.
Segundo o especialista, outra vantagem do sistema é a capacidade de conservar a morfologia celular por até 20 dias em temperatura ambiente e seis meses quando refrigerado. Além disso, Moccelin destaca que continua realizando pesquisas com o objetivo de utilizar o líquido para detecção de outros tipos de câncer. “A tecnologia é totalmente nacional e o laboratório só compra o líquido, pois a máquina é fornecida pelo sistema de comodato”, explica.
O teste, cujo custo é similar ao do papanicolau tradicional, já está sendo utilizado pelo serviço de saúde pública de Camburiu. “Fechamos um acordo com a prefeitura e fornecemos 50 testes por mês”, revela o pesquisador. Segundo ele, o objetivo é apresentar o método ao Ministério da Saúde. “Para o governo o uso do sistema implicaria em redução de gastos, uma vez que a detecção do câncer em estágio inicial torna o tratamento mais eficaz e barato”, aponta.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta