HIS17 Já emitiu sua credencial gratuita para o HIS '17? Já são +1.600 profissionais! Clique aqui

Novo método promete mais eficácia na detecção do câncer de útero

Publicidade

Um método diagnóstico do câncer de colo de útero que promete eficácia 60% superior ao papanicolau tradicional é a novidade desenvolvida pelo pesquisador catarinense César Ricardo Ribeiro Moccelin. “Desenvolvemos o líquido universal citológico (Luc), um fixador e conservador que facilita a visualização das células pré-tumorais e tumorais”, conta o pesquisador. De acordo com ele, uma das grandes vantagens do método de diagnóstico em meio líquido é o total aproveitamento do material recolhido para análise. Isso porque pelo sistema, batizado de Luc Base, o médico deve recolher as células com o uso de uma escova cônica, capaz de abranger toda anatomia do útero. Em seguida, a escova é mergulhada em um frasco com o Luc, que fixa e conserva as células. O frasco é levado a uma máquina chamada agitador vortex para que o conteúdo seja concentrado no fundo do recipiente. Depois retira-se o material com uma micropipeta (ferramenta que suga o líquido); leva-se a uma citocentrífuga, que o passa para a lâmina de análise. “Pelo método convencional pode haver perda de até 80% do material coletado. Já com o sistema Luc Base não há desperdício, o que aumenta a chance de identificar as células pré-cancerígenas”, destaca Moccelin.
Segundo o especialista, outra vantagem do sistema é a capacidade de conservar a morfologia celular por até 20 dias em temperatura ambiente e seis meses quando refrigerado. Além disso, Moccelin destaca que continua realizando pesquisas com o objetivo de utilizar o líquido para detecção de outros tipos de câncer. “A tecnologia é totalmente nacional e o laboratório só compra o líquido, pois a máquina é fornecida pelo sistema de comodato”, explica.
O teste, cujo custo é similar ao do papanicolau tradicional, já está sendo utilizado pelo serviço de saúde pública de Camburiu. “Fechamos um acordo com a prefeitura e fornecemos 50 testes por mês”, revela o pesquisador. Segundo ele, o objetivo é apresentar o método ao Ministério da Saúde. “Para o governo o uso do sistema implicaria em redução de gastos, uma vez que a detecção do câncer em estágio inicial torna o tratamento mais eficaz e barato”, aponta.

       
Publicidade

Deixe uma resposta