Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

NA CAPITAL FEDERAL, UM HOSPITAL JÁ É REFERÊNCIA NACIONAL EM GESTÃO PELA QUALIDADE

Publicidade

Ao longo de 10 anos, o Hospital Anchieta investiu

R$ 45 milhões no processo de gestão pela qualidade.

Mais que selos e certificados – e já são vários,

a instituição busca garantir, com isso, a segurança

e a resolutividade na assistência

Primeiro hospital da América Latina a receber a certificação ISO 9001:2000, o Anchieta acaba de ser recertificado – agora pela última versão do selo de qualidade reconhecido internacionalmente, a 9001:2008. Dr. Délcio Rodrigues, superintendente da instituição localizada em Taguantinga (DF), lembra que a realização resulta de anos de investimentos: “Desde 1998 trabalhamos incansavelmente na implementação de processos que primem pela excelência”.

Para Entender o Percurso – O Anchieta recebeu o primeiro certificado ISO em 2000. Os gestores seguiram depositando recursos e muita energia na qualidade e alcançaram, em 2003, a Acreditação Hospitalar Nível III – Por Excelência, concedida pelo Ministério da Saúde/ONA. Mais uma vez largou na frente: foi o primeiro hospital do Centro-Oeste a figurar no ranking da ONA.

Na prática, uma instituição hospitalar que opta por adotar sistemas de qualidade tem, entre seus principais objetivos, a oferta de segurança e assistência de elevado padrão. Isso porque, cada um dos modelos – seja a ISO ou a Acreditação – prevê a padronização de todos os processos, a mensuração de indicadores e a realização de melhorias contínuas. “Somos submetidos a auditorias periódicas, por entidades independentes, que visam avaliar se aquilo que está descrito nos nossos manuais realmente ocorre”, destaca Maria Orlanda Pereira, assessora da qualidade.

Próximos Desafios – Qualidade não ocorre por acaso. É resultado da determinação da alta gestão e de investimentos tangíveis. No caso do Anchieta, na última década foram destinados mais de R$ 45 milhões – entre consultorias, adequações estruturais, treinamentos e informatização – para que o hospital se mantenha em conformidade com as exigências da ISO e da ONA.

Não satisfeita, a instituição prepara-se agora para mais um desafio: a Acreditação Internacional pela JCI – Joint Comission International. “Estamos profundamente compromissados com as ‘Seis Metas Internacionais de Segurança’, preconizadas pela JCI”, conclui Dr. Délcio. A contar pelo histórico, o Anchieta deverá figurar em breve no seleto grupo internacional reconhecido pela Joint Comission International, que no Brasil inclui o Sírio Libanês e o Einstein.

SAIBA QUAIS SÃO AS METAS INTERNACIONAIS DE SEGURANÇA

:: Meta 1 – Identificar os pacientes corretamente.

::Meta 2 – Melhorar a efetividade da comunicação entre profissionais da assistência.

:: Meta 3 – Melhorar a segurança de medicações de alta vigilância (high-alert medications ).

:: Meta 4 – Assegurar cirurgias com local de intervenção correto, procedimento correto e paciente correto.

:: Meta 5 – Reduzir o risco de infecções associadas aos cuidados de saúde.

:: Meta 6 – Reduzir o risco de lesões ao pacientes, decorrentes de quedas.

Paulo Lima e Carla Furtado

AthenaPress | Unidade do Grupo Athena

(61) 3326 2066 e 8473 3509

athenapress@grupoathena.com.br

www.grupoathena.com.br

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta