Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

?Modelo do sistema de internação do SUS não se aplica a realidade brasileira?

Publicidade

Desde o início de janeiro, o governo disponibilizou para o setor hospitalar a nova versão do SISAIH01 ? Sistema de Autorização de Internação Hospitalar. O que tem ocorrido desde então são problemas com o preenchimento de alguns campos obrigatórios, mas não compatíveis com a realidade, dificultando assim o faturamento das contas hospitalares. Segundo Antonio Carlos Forte, superintendente da Santa Casa de São Paulo, a situação só não é caótica porque o ministério da Saúde decidiu suspender o preenchimento de alguns campos.
?As tabelas contém erros muito importantes e faz críticas (controles) que não são compatíveis com a nossa realidade. O que acontece é que a nova versão exige que os hospitais tenham os sistemas muito atualizados e disponíveis. Para atender tudo que o ministério pede precisaríamos ter o prontuário eletrônico. E isto não está dentro da realidade do nosso sistema público, em que a maioria ainda possui os registros manuais?, explica Forte.
Segundo o superintendente, a situação piora nos hospitais de ensino, quando muitos residentes realizam o primeiro atendimento. Por exemplo, não existe um código de ocupação para o residente e consequentemente o campo fica em branco no preenchimento da tabela. Porém se este campo ficar em branco, o hospital não pode faturar suas contas.
Na Santa Casa de São Paulo foi implantando o sistema novo e a instituição conseguiu faturar neste começo de ano apenas uma parte da conta. ?Acredito que não haverá prejuízo financeiro, por enquanto. Porém, o problema são os meses seguintes. Estamos agora aguardando o posicionamento do ministério, pois enviamos uma carta pedindo para que se reveja o sistema e a própria crítica. Este modelo teórico não se aplica a realidade brasileira?, conclui Forte.
Como a Tabela Unificada ainda é um sistema novo e gera muitas dúvidas, o Departamento Técnico da Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo (FEHOSP) recebe em média 60 consultas diárias sobre a nova tabela. Segundo a federação, a partir de 13 de março, os cursos de capacitação promovidos em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde de SP (SES) serão reiniciados, com o objetivo de trazer um maior esclarecimento para o setor.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta