Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Ministro mobiliza Funasa para o combate à dengue

Publicidade

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, deu início na última quarta-feira (05) a uma série de visitas que fará a institutos, fundações, órgãos e hospitais ligados à pasta. A primeira agenda foi realizada na Fundação Nacional de Saúde (Funasa), onde reforçou o papel do órgão no combate à dengue. O ministro ainda lembrou da responsabilidade da fundação nas atividades previstas no PAC II, relacionados ao acesso de água tratada e saneamento em cidades com menos de 50 mil habitantes.
A visita contou com uma conversa com aproximadamente 200 servidores, além de um encontro com o presidente da entidade, Lins Filho, oito diretores e quatro superintendentes regionais da Fundação.
Dengue

Na próxima sexta-feira (07), o ministro dá início, no Rio de Janeiro, às atividades de mobilização para o enfrentamento da dengue, retomando a chamada “Caravana da Dengue”. Entre janeiro e fevereiro, ele deve visitar sete estados (Amazonas, Acre, Espírito Santo, Ceará, Tocantins, Goiás e Pará) para sensibilizar contra a doença gestores de saúde e de outras áreas, como educação, saneamento básico, abastecimento de água e limpeza pública, além da população.
O tema foi apresentado na fundação durante encontro com aproximadamente 200 profissionais da Funasa, reunidos no auditório do edifício-sede da instituição, em Brasília.
Padilha também informou que as demandas específicas da fundação serão discutidas em reunião prevista para a próxima segunda-feira (10), quando o Ministério da Saúde definirá seu plano de trabalho para os primeiros 100 dias de governo Dilma Rousseff. “A missão da Funasa se transforma e é reforçada pelo papel estratégico que tem de acompanhamento permanente e de execução das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC)”.
Conforme ressaltou Alexandre Padilha, a Funasa é responsável pelas obras de saneamento e ações de saúde ambiental nos municípios com menos de 50 mil habitantes e também em áreas de difícil acesso, como comunidades quilombolas.
*Com informações da Agência Saúde
 Você tem Twitter? Então, siga http://twitter.com/#!/sb_web e fique por dentro das principais notícias de Saúde. 
 
 

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta