Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Livro: O Gerente-Minuto – Gestão Prática de Pessoas

Publicidade

Esse livro foi recomendação pessoal do Rogério Ciarcia, da Femme, que já trouxemos o case aqui no site (http://bit.ly/e8nqUU). Tem um pouco de cara de auto-ajuda (o fato de um dos autores ser do Quem mexeu no meu queijo?, por exemplo), mas supre, na minha opinião, uma necessidade pontual. A administração é uma das áreas que mais produz conhecimentos, seja de artigos, livros ou revistas e, contudo, às vezes tenho a impressão que o que de fato aplicamos é muito pouco perto do que estudamos do assunto. Esse livro, com uma abordagem prática, fornece um esqueleto de gestão de pessoas, um pouco básico até, mas que forma o começo de tudo, e tem a vantagem de ser imediatamente aplicável, o que lhe fez ser um dos livros mais lidos no mundo corporativo.

“A essência do conhecimento é, tendo-o, usá-lo” Confúcio
Gerente-Minuto (ver no Submarino)


O livro traz a história de um jovem que, na busca por se tornar um grande gerente, percorre o mundo até encontrar esse gerente fantástico, que utilizando 3 regras básicas, ensina-o o conceito de Gerente-Minuto:
1- Estabelecimento de Objetivos-Minuto– Consiste simplesmente em:

– O chefe e o subordinado conversam e concordam sobre seus objetivos;

– definem o que será considerado bom comportamento/desempenho;

– escrevem os objetivos numa única folha de papel, utilizando menos de 250 palavras;

– leem e releem cada um dos objetivos, o que requer em torno de um minuto cada vez que fazem isso;

– reservam 1 minuto todos os dias para rever o desempenho;

– verificam se o seu comportamento combina ou não com os objetivos.
Esse gerente tem na sua sala a seguinte frase:“Pessoas Satisfeitas Consigo Mesmas Produzem Bons Resultados” (algo parecido com Zappos? http://bit.ly/eZJafd)
Diga à pessoa, com antecedência, que vai informá-la sobre como está se saindo, e isto claramente e sem rodeios.
2 – Elogio-Minuto– Elogie a pessoa dizendo exatamente o que ela fez de certo, o quanto aquilo é importante pra você e para a empresa e encoraje-a a continuar assim.
3 – Repreensão-Minuto– Repreenda imediatamente a pessoa dizendo especificamente o que fez de errado e como você se sente em relação ao erro;- Lembre-a o quanto tem em alta conta e respeito, apesar do desempenho dela naquela situação;- Dê por encerrado o assunto.

Alguns trechos:
“Ajude as pessoas a alcançarem seu pleno potencial, flagre-as fazendo alguma coisa certa.

“O Melhor Minuto Que Aplico É Aquele Que Invisto Nas Pessoas”.
“O que é irônico é que a maioria das empresas gaste 50-70% de seus recursos em salários. E, contudo, investe menos de 1% em treinamento de pessoal. A maior parte delas, na verdade, gasta mais tempo e dinheiro na manutenção de seus prédios e equipamento do que na manutenção e desenvolvimento de pessoal.”
Achei o conceito muito prático, seu principal mérito consistindo no estabelecimento de objetivos-minuto. Uma imagem que traz no livro é que esse gerente antes tinha um funcionário muito desanimado no trabalho, mas que viu muito feliz no boliche ao comemorar um strike. O que acontece nas organizações? Sem a definição dos objetivos, os funcionários jogam boliche sem saber onde estão os pinos, só descobrem nas avaliações de fim-de-ano. Por quanto tempo você jogaria boliche se não pudesse ver os pinos? É isso que acontecem com os funcionários, eles se desmotivam e param de brincar com você.
O Case que trouxemos da Zappos novamente mostrou isso no vídeo (http://bit.ly/eZJafd), em que Tony diminuiu o tempo entre as promoções na empresa criando “mini-promoções”, definindo objetivos e dando a noção para as pessoas de que elas estavam de fato progredindo, o que todos buscamos. Esse é um dos motivos mais fortes pelos quais eu acredito que as pessoas se tornam empreendedoras, porque cada venda, cada parceria, cada dia que a empresa continua aberta, é uma vitória pessoal.
O Estabelecimento de Objetivos-Minuto cria intra-empreendedores. O autor do livro, mesmo sem perceber isso, mostra a consequência, as pessoas são proativas, felizes com o trabalho e raramente vem o gerente, trabalham por conta própria, mirando nos objetivos definidos. No começo de um projeto, é importante acompanhá-los e utilizar os Elogios e Repreensões-Minuto para moldar o comportamento vencedor. Depois disso, eles “flagram a si  mesmos fazendo as coisas como devem”, proporcionando auto-reforço.
Para finalizar quero trazer um pensamento do livro de porque temos poucas empresas com equipes tão fascinantes:”O que você acha que seu chefe pensaria de você se classificasse todos os seus subordinados com as notas mais altas da avaliação de desempenho? – Ele pensaria que sou apenas um “cara legal”, que não sabe discriminar um bom desempenho de um desempenho medíocre. – Exatamente – concordou o gerente – Na maioria das empresas, a fim de qaulificar-se como gerente competente, o chefe tem que “flagrar” algumas pessoas cometendo erros. Precisa de alguns vencedores, alguns perdedores, e o resto mais ou menos. Percebe? Temos uma mentalidade de curva de distribuição normal.”
De que maneiras vamos preparar uma equipe de vencedores, com objetivos definidos e bom desempenho desde sempre, se esperamos uma curva normal?

Vitor Asseituno

Equipe EmpreenderSaúde

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta