Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Lavagem de dinheiro na Fundação Butantã

Publicidade

Uma investigação realizada pelo Ministério Público apontou que pelo menos R$ 30 milhões foram desviados da Fundação Butantã por funcionários nos últimos três anos. O resultado da ação do MP resultou no afastamento do presidente e da superintendente da fundação, Isaias Raw e Hisako Gondo Higashi, respectivamente. O resultado da investigação também conclui que o esquema teria a participação de funcionários do segundo e terceiro escalões.
Erney Plessmann de Camargo foi nomeado o presidente interino da fundação e a superintendência ocupada pelo pesquisador da USP Hernan Chaimovich. O MP ressalta que os funcionários acusados de envolvimento na operação devem responder a processos civis e criminais por crime contra a ordem tributária, lavagem de dinheiro e desvio de verba. Segundo o Ministério Público, o ex-gerente financeiro da Fundação Butantã, Adalberto da Silva Bezerra, é o principal suspeito de coordenar o esquema.
A suspeita do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) de que R$ 2,6 milhões teriam sido pago por serviços prestados a uma microempresa chamada Sunstec alertou o Ministério Público ao dar início a investigação.
Comunicado
Por meio de uma nota oficial, a Fundação Butantã confirmou Erney Plessmann de Camargo como presidente interino. E ainda, segundo a fundação, tal alteração não representará quaisquer problemas na continuidade do trabalho realizado pela instituição na área de produção de imunobiológicos.
A Fundação está à inteira disposição do Ministério Público Estadual para esclarecimentos que se façam necessários acerca da gestão financeira da instituição.
Você tem Twitter? Então, siga http://twitter.com/SB_Web e fique por dentro das principais notícias do setor.
 

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta