Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Laboratórios passam por certificação e treinamento

Publicidade

O projeto de capacitação dos profissionais dos Laboratórios Centrais de Saúde Pública (Lacens), que iniciou sua última etapa na última quarta-feira (13), no Rio de Janeiro, vai melhorar o sistema de qualidade desses laboratórios e ampliar a competitividade da indústria nacional. A avaliação foi feita à Agência Brasil pela coordenadora do Departamento de Fármacos e Medicamentos da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Cleila Pimenta.
Os técnicos dos Lacens estão sendo capacitados como parte do Projeto de Apoio à Inserção Internacional de Pequenas e Médias Empresas Brasileiras (PAIIPME), fruto de acordo de cooperação entre o Brasil e a União Europeia. O trabalho é uma iniciativa da ABDI, em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Até agora, já foram capacitados cerca de 170 profissionais.
Esse é o primeiro passo de um projeto mais amplo, de acreditação (sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços) dos laboratórios. O trabalho será desenvolvido pela ABDI, Anvisa e o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). “Primeiro, a gente vai capacitar e ter um diagnóstico dos laboratórios quanto à ISO [norma internacional de qualidade] e, posteriormente, a gente vai traçar um novo plano para acreditação desses laboratórios, que fazem o monitoramento de produtos no mercado”.
Cleila Pimenta explicou que a implantação do sistema ISO de qualidade nos laboratórios agiliza o processo de retirada de produtos fora de conformidade do mercado. “Você tem um laboratório confiável e qualificado, pronto para fazer esse tipo de análise. Assim, você viabiliza o controle do mercado com a ação dos Lacens”.
A coordenadora informou que, indiretamente, o cidadão brasileiro será beneficiado pelo projeto que visa a implantar nos Lacens, a partir de agora, um sistema de gestão da qualidade. “Com isso, você pode confiar mais nos produtos que estão circulando, já que eles passam por um programa de monitoramento, de avaliação da qualidade”.
Isso significa que os laboratórios poderão oferecer melhores serviços para a população, no que diz respeito ao monitoramento da qualidade de medicamentos, alimentos, produtos para a saúde, como próteses e órteses, água para hemodiálise e, inclusive, cosméticos, conforme destacou a especialista.
No caso do Rio de Janeiro especificamente, Cleila destacou a importância da melhoria da gestão da qualidade dos Lacens em relação aos alimentos, tendo em vista a realização de megaeventos esportivos no estado. “Nesse momento em que se pensa em Copa, em Olimpíadas, você ter um mercado que oferece produtos de qualidade é fundamental”.
O programa de capacitação no Rio se estende até esta quinta-feira (14), beneficiando também profissionais das coordenações de vigilância sanitária da Região Sudeste. Em seguida, o projeto irá para o Sul, onde será desenvolvida a fase do projeto de avaliação do laboratório à norma internacional de qualidade ISO 17025, reconhecida internacionalmente para sistemas de gestão de qualidade de laboratórios.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta