HIS17 É hora de mudar a saúde! Faça como seus colegas, participe do HIS. Quero participar da mudança

A internet das coisas (IoT) está mudando a saúde conectada

Você provavelmente já ouviu falar de “Internet das Coisas” – ou IoT da sigla em inglês – em algum momento. Mas o que é ou o que isso significa? E como ela poderá mudar os cuidados a saúde?

O IoT refere-se à conexão de todos os tipos de dispositivos que possam coletar, transmitir e compartilhar dados (não apenas dispositivos como computadores e smartphones) na Internet. Dentre eles, carros, eletrodomésticos, monitores de frequência cardíaca e outras infinitas possibilidades, graças a uma combinação de processadores mais rápidos, minúsculos sensores, tecnologia sem fio e a onipresença de smartphones.

A Internet das Coisas é uma evolução revolucionária na computação, e à medida que ela cresce, mais dispositivos se juntarão a essa lista. O BI Intelligence, serviço de pesquisa da Business Insider, espera que haverá mais de 24 bilhões de dispositivos IoT na Terra até 2020. Isso equivale, aproximadamente, a quatro dispositivos para cada ser humano no planeta.

As possibilidades são verdadeiramente ilimitadas e IoT tem o potencial de nos afetar de formas que ainda não podemos imaginar.

A Internet das Coisas aplicada a saúde

Pense em um hospital que é capaz de manter atenção continua em cada sinal vital de pacientes em enfermarias, e ajustar automaticamente as máquinas sem intervenção humana. Ou um médico que é capaz de tratar os pacientes em locais remotos, sem sair de casa. Talvez a casa de uma pessoa idosa que tenha sensores que alertam os paramédicos caso tenham, por exemplo, um ataque cardíaco e não puder se levantar ou um dispositivo capaz de avaliar o nível de glicose do paciente e avisá-lo.

Com dispositivos habilitados para IoT, os hospitais serão capazes de monitorar os pacientes de forma mais eficiente, independentemente de onde eles estejam e ter a informação coletada, armazenada e enviada em qualquer lugar e para qualquer lugar.

A aplicação da IoT na área da saúde conectada é muito atraente, pois podem nos afetar potencialmente ajudando a diagnosticar, tratar e prevenir doenças de forma mais eficiente, e certamente, irá salvar um número incontável de vidas.

Desafios da Internet das coisas e saúde conectada

Estamos adiantados em adotar a tecnologia IoT nos cuidados de saúde, é uma área que está a todo vapor, mas a medida que o número de dispositivos conectados à internet das coisas cresce, surgem novos desafios, como:

  • Implementar a interoperabilidade, especificamente, a capacidade de integrar esses dispositivos ao fluxo de trabalho de cuidados de saúde;
  • Vida útil da bateria, certificando-se de que há energia suficiente para esses dispositivos, muitos dos quais não podem ser conectados a um carregador comum;
  • Padrões de IoT no setor de saúde, que estão sendo desenvolvidos, mas ainda estão longe da implementação;
  • Todos esses dispositivos e fluxos de dados também vão precisar de uma interface de usuário amigável para tornar mais fácil para os pacientes e profissionais de saúde trabalharem e interpretarem as informações;
  • Atualizações de firmware, hardware e software também precisarão de protocolos de entrega.

Muitos especialistas e consumidores têm vinculado a Internet das Coisas (IoT) como a próxima Revolução Industrial ou a próxima Internet. Mas, sendo ou não, é fato que ela já está presente e vem afetando a forma de como as empresas, Governo e consumidores interagem com o mundo físico.

       

Deixe uma resposta