🚀 HIS 17 Última chance: Mais de 5.000 inscritos! E você? Já emitiu sua credencial gratuita Clique aqui

“O setor oferece oportunidades de negócios”, diz Todd Barrett

Publicidade

O Consulado Geral do Canadá, em parceria com a Interfarma (Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa) realizou o evento Inovação Sem Fronteiras. O encontro ocorreu a convite de Todd Barrett, Cônsul Comercial de Ontário e teve como finalidade promover a discussão sobre as próximas tendências do setor.

O evento contou com a presença de Antônio Britto, Presidente Executivo da Interfarma, Carolina Wosiack, Estrategista Digital C&T, Mauro Catharino Vieira da Luz, Coordenador de Relações Institucionais INPI, Marcelo Sarkis, Especialista em PI e Fundador da Prima IP, Maximiliano Carlomagno, Sócio-Fundador Innoscience, Reginaldo Arcuri, Grupo Farma e Richard Bozzato, Líder de Saúde do MaRS Discovery District.

Entre os temas discutidos estavam  a inovação na saúde, políticas do governo brasileiro e de Ontário para apoiar o desenvolvimento de pesquisas e inovação no setor e, como as empresas podem se relacionar com  as startups.

Todd Barrett abriu o evento falando sobre Ontário, e explicou que é a principal província canadense, considerada o motor econômico do Canadá, apontada como o 2° maior polo de TI das Américas, ficando atrás apenas da Califórnia e a 2ª maior concentração de startups do mundo.

De acordo com Barrett, iniciativas como o Inovação Sem Fronteiras representam a oportunidade de fomentar negócios entre Brasil e Canadá além de corresponder parcerias, intercâmbio e conhecimento entre os dois países. Ele reitera, que muitas empresas que estavam no evento não tinham nenhum conhecimento ou contato com as empresas canadenses, e que esse encontro estreita a troca de experiências entre os presentes.

Sobre o setor de saúde, Barret afirma que é uma área que oferece oportunidades de colaboração, negócios e parcerias. E declara que para que tenhamos um ecossistema de inovação é preciso que todos os agentes voltem a sua atenção para a tecnologia da informação e invistam em pesquisas, e no que tange o governo, na sua opinião é muito importante que ele possa atuar na simplificação dos processos.

O encontro foi encerrado por Richard Bozzato que discorreu sobre a MaRS District, umas das principais aceleradoras de negócios do mundo. Ele relatou sobre a sua experiência à frente de um dos principais hubs globais de apoio a startups de saúde.

A MaRS centraliza seu trabalho em quatro setores: Energia e Meio Ambiente, Finanças e Comércio, Saúde e Trabalho e Aprendizagem, e apresenta uma ampla rede de parceiros para auxiliar os empreendedores a promover e desenvolver suas ideias e aplicações, sem custo nenhum para o empreendedor.

De acordo com Bozzato o objetivo da MaRS é favorecer a reunião de pesquisadores, professores, cientistas sociais, empresários e especialistas em um único local para ocupar a lacuna entre o que as pessoas necessitam e o que o governo pode propiciar.

Bozzato declarou que o ecossistema de startups do Canadá está em pleno desenvolvimento  e que a área da saúde pode ser  apontada como uma das mais avançadas, pois os negócios na área da saúde contam com a forte contribuição de outros expoentes como a comunidade local, as multinacionais e os pesquisadores.

Sobre o que o nosso país pode aprender com Ontário, a resposta foi concedida por Barrett que afirmou que o momento que o Brasil vivencia agora, Ontário já passou por isso a mais ou menos nove atrás. E as lições aprendidas foram que o Canadá não é o Vale do Silício, apesar de ter tentando por muito tempo, esse não é o lugar que corresponde ao seu país. O momento que o Brasil atravessa requer paciência, muita colaboração entre o governo, setor privado e instituições de ensino. Ele aponta esse como o caminho para que o país saia fortalecido em todas as suas esferas.

       
Publicidade

Deixe uma resposta