Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Informatização de laboratórios é forte tendência

Publicidade

 O Hermes Pardini inaugurou esta semana o Núcleo Técnico Operacional (NTO), visando aumentar em 50% a produtividade do laboratório, facilitar a logística de transporte e ampliar a capacidade de processamento de amostras terceirizadas.
 
Dos R$ 60 milhões investidos pela empresa para construir a nova unidade, 50% foram obtidos com recursos dos acionistas, 25% de geração própria de caixa e outros 25% vieram de apoio dos principais fornecedores Beckman Coulter e Roche.
Impostos Pesados
Segundo Juan-Carlos Yubero, gerente de Desenvolvimento de Negócios da Beckman Coulter, o NTO foi o primeiro projeto da empresa no Brasil em um nível elevado de automação dos sistemas. “Baseando-se nos êxitos desse núcleo, podemos usá-lo como modelo para novas negociações”, diz.
Para estruturar o NTO, a empresa adotou o conceito Lean, que se baseia na ideia de diminuir o número de passos necessários para se chegar ao objetivo final, além do conjunto de práticas conhecido como Seis Sigma, designado para diminuir as falhas no processo de produção.
No novo projeto, a Beckman Coulter construiu as esteiras customizadas especialmente para atender às necessidades do Hermes Pardini.
“Estatísticas mostram que a intervenção humana aumenta em 10% a chance de erros no processo. Diminuímos essa margem ao automatizar o máximo possível o sistema de produção”, explica Yubero.
O executivo ressalta que o setor de saúde no Brasil está em franco crescimento, mas reclama dos altos custos de importação de tecnologia: “O governo precisa entender que a saúde é para todos. Se as empresas estão trazendo tecnologia para o setor, deveriam ser abertas exceções.”
Segundo ele, o Brasil representa um terço da receita da empresa na América Latina, mas a Beckman Coulter não tem planos de abrir uma fábrica local, pela dificuldade de transferir para o País o know how acumulado em 15 anos de experiência nos Estados Unidos.
Solução Integrada
A Roche teve participação direta desde a elaboração do projeto de consultoria laboratorial até a reforma e construção da unidade, a fim de oferecer uma solução totalmente integrada para o novo núcleo da Hermes Pardini.
Segundo o Diretor Presidente da empresa, Pedro Gonçalves, a parceria com o Pardini para a estruturação do novo núcleo começou no ano passado. Hoje, o NTO situa-se entre os cinco principais projetos da Roche no mundo. A empresa investiu principalmente em softwares de TI para a informatização do sistema.
O executivo afirma que a otimização dos processos em laboratórios é um dos pilares estratégicos para a atuação da Roche. Segundo ele, apenas cerca de 20% dos investimentos em uma unidade são gastos em reagentes, enquanto mais de 80% são atribuídos a custos indiretos, incluindo o processo de automatização.
“Essa informatização dos laboratórios é uma tendência. Inclusive os órgãos públicos estão percebendo a necessidade de automatizar os processos laboratoriais, para padronização e cadastro único dos pacientes”, diz Gonçalves.
Você tem Twitter? Então, siga https://twitter.com/ e fique por dentro das principais notícias do setor.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta