Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Incor inaugura Centro de Diagnósticos PET

Publicidade

O Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (Incor-HC/FMUSP) inaugurou oficialmente nesta quarta-feira (04/06) o Centro de Tomografia por Emissão de Pósitrons, conhecido como PET, com a instalação do Advance NX/i, da GE Sistemas Médicos. Os investimentos somaram US$ 1,5 milhão com recursos do Ministério da Saúde (80%) e do Governo do Estado (20%), informa o diretor do Serviço de Medicina Nuclear do Instituto, Cláudio Meneghetti. A tecnologia PET ajuda na detecção de disfunções cardíacas e de pequenas lesões e tumores em estágio precoce nos diversos tipos de câncer. Por meio da captação do metabolismo celular, a tomografia por emissão de pósitrons permite ver como o corpo está funcionando em termos de consumo de energia, oferecendo diagnósticos mais precisos.
Segundo Meneghetti, em 100 pacientes de câncer, o médico mudaria o tratamento em pelo menos 35 em função do diagnóstico fornecido pelo PET. “As imagens produzidas não são apenas anatômicas mas metabólicas e bioquímicas, mostrando ao vivo o que está acontecendo no corpo, e ampliando a precisão do diagnóstico”, explica Meneghetti. É possível através das imagens, determinar se um tumor é maligno ou benigno, diminuindo a necessidade de intervenção cirúrgica. Ou detectar se um músculo cardíaco é viável e pode ser revascularizado para voltar a funcionar.
A matéria-prima para esses exames, o isótopo Flúor-18 (FDG), é produzido pelo ciclotron do IPEN (Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares). “Uma das limitações da difusão da tecnologia PET no Brasil é o fornecimento de matéria-prima, hoje produzido apenas pelo IPEN. O FDG tem uma meia vida útil de 110 minutos e deve chegar rapidamente ao local onde será usado para o exame”, conta Meneghetti. Por isso, segundo o diretor, uma das metas do Incor é a instalação de um ciclotron que poderia fornecer matéria-prima para outros centros PET no Estado de São Paulo. “Gostaríamos de contar com um equipamento próprio, até o final do ano. Mas esta não é uma negociação simples, já que representa um investimento da ordem de US$ 3 milhões”, diz Meneghetti.
Segundo a diretora geral da GE Sistemas Médicos, Cláudia Kemper Goulart, o Advance NX/i, da GE, possui uma base instalada de 600 máquinas no mundo mas é o primeiro a ser instalado no Brasil. A executiva destaca que a companhia está negociando com outros hospitais “mas a falta de um ciclotron próximo a esses locais, para o fornecimento do isótopo para o exame, limita a opção de compra”, afirma. Para ela a regulamentação do governo para esta área, que abriria espaço para atuação da iniciativa privada, permitiria que esses equipamentos chegassem a outras capitais do País.
O Centro PET do Incor vai atender convênios e consultas particulares. Segundo Meneghetti, o SUS está estudando a viabilidade econômica de subsidiar os exames para o público em geral.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta