Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Implementação da CBHPM movimenta setor

Publicidade

A questão da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM) continua movimentando a área médica. Enquanto os médicos baianos entraram em acordo com o Grupo Unidas, os profissionais de Campinas (SP) decidiram aderir ao movimento pela CBHPM, os mineiros realizaram o descredenciamento coletivo de 41 dos 52 planos ligados à Associação Brasileira de Medicina de Grupo (Abramge-MG) e os médicos cearenses decidiram ampliar o movimento pela implantação da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM) no Estado. De acordo com a Associação Médica Brasileira (AMB), os médicos baianos aprovaram por unanimidade a proposta do Grupo Unidas de reajustar o valor da consulta para R$ 33,60 e o CH de procedimentos médicos e cirúrgicos para 0,30 (16%) a partir de 1º de agosto. Além disso, a Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM) será implantada em 1º de dezembro com redutor de 20%. O valor da consulta será reavaliado em 1º de abril de 2005 e o dos demais itens em 1º de dezembro de 2005.
Os profissionais de Campinas também reuniram-se para discutir o assunto no auditório da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas (SMCC), quando foi aprovada por aclamação a adesão oficial dos médicos da região de Campinas ao movimento para implantação da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM).
O descredenciamento coletivo de 41 dos 52 planos de saúde ligados à Associação Brasileira de Medicina de Grupo (Abramge-MG), que possui 400 mil usuários no Estado, foi a decisão tomada pelos médicos mineiros, os quais reivindicam a implementação do CBHPM. Foram poupadas apenas as 11 operadoras que enviaram propostas para adoção da CBHPM: Gasmed Saúde, Golden Cross, Goodlife Saúde, Hospital Padre Júlio Maria (Manhumirim), Minas Centermed, Plasc (Santa Casa de Juiz de Fora), Promed, Samp Assistência Médica, Santa Casa de Belo Horizonte, Unihosp e Vitallis Saúde.
Já os profissionais do Ceará decidiram ampliar o movimento pela implantação da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM) no Estado. A partir de 1º de setembro, cobrarão dos usuários de todos os planos de saúde consultas, procedimentos e exames de acordo com os valores da CBHPM, para posterior reembolso por parte das operadoras.
Os usuários das seguradoras Sul América e Bradesco já são atendidos somente pelo sistema de reembolso desde 1º de maio. Geap e Unidas já haviam fechado acordos com os médicos para implantação da CBHPM.
A Unimed Fortaleza tem prazo até 12 de agosto para realizar uma assembléia extraordinária com os cooperados, que irão deliberar sobre a implantação da Classificação. Nesta quinta-feira (15 de julho), haverá reunião entre a Comissão Estadual de Honorários Médicos, os presidentes das Sociedades de Especialidade e os das cooperativas para avaliar o movimento.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta