Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Iamspe oferece Telemedicina para Diabéticos

Publicidade

Um programa do Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe) ajudará pacientes diabéticos usuários de insulina a ter um melhor controle da doença e um acompanhamento médico a distância. O projeto piloto oferecerá tratamento personalizado a 800 pessoas e permitirá que os médicos fiquem mais próximo dos pacientes, já que receberão periodicamente pela internet os resultados dos testes de glicemia realizados três vezes ao dia.

e receba os destaques em sua caixa de e-mail.   

“O que estamos trazendo de novo é associar a internet ao controle mais rígido do paciente diabético, melhorando sua qualidade de vida, e tendo menos eventos de descompensação e complicações crônicas da doença como infartos, derrames cerebrais, amputações e cegueira”, afirmou o diretor do Serviço de Endocrinologia do Iamspe, Evandro Portes. Atualmente o Iamspe, que atende servidores públicos estaduais e seus dependentes, acompanha 100 mil pacientes com diabetes.

Com o monitoramento dos pacientes, o médico poderá até antecipar a consulta ou mudar o tratamento caso os exames apontem essa necessidade. Quem fizer parte do grupo chamado de Telemedicina para Diabéticos receberá todo o material necessário para fazer o exame em casa: insulina, lancetas, fitas e um glicosímetro individual para realização dos exames de glicemia em casa. Os dados ficam armazenados no glicosímetro e são invioláveis.

“A cada sete ou 15 dias o paciente transmite essas informações por meio de centrais de dados que estarão espalhada pelo Hospital do Servidor Público Estadual na capital e em algumas cidades do interior. Esses dados vão para um outro arquivo onde serão compilados e disponibilizados para o médico via internet para que os responsáveis pelo paciente tenham acesso a essas informações e assim orientem melhor o tratamento”, explicou Portes.

Os dados armazenados no prontuário eletrônico permitem ainda que um médico de outra unidade de saúde ou familiar, mesmo fora da cidade ou do estado, tenham acesso às informações por meio de uma senha.

“Se os níveis glicêmicos estiverem fora do proposto para esse paciente ele será reorientado por um grupo de profissionais [médicos, enfermeiras, nutricionistas, assistentes sociais] que dará suporte ao paciente para ajudá-lo a resolver os problemas que estão fazendo sua glicemia aumentar. Com esse tratamento vamos ter segurança de que o paciente está com um bom controle.”

A escolha dos pacientes para o grupo atenderá critérios médicos definidos previamente que incluem a maior necessidade de um monitoramento para estabilização da doença. O paciente já deve ser atendido e receber tratamento no Iamspe.

Você tem Twitter? Então, siga https://twitter.com/ e fique por dentro das principais notícias do setor.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta