HIS17 É hora de mudar a saúde! Faça como seus colegas, participe do HIS. Quero participar da mudança

Humberto Costa anuncia repasse de verbas para Cuiabá

Publicidade

Durante o 21º Congresso Nacional de Secretários Municipais de Saúde e 2º Congresso Brasileiro de Saúde, Cultura de Paz e Não Violência, o ministro da Saúde, Humberto Costa, anunciou repasse de R$3 milhões até 2008 para o Programa de Expansão da Saúde da Família, em Cuiabá (MT). Durante o Congresso, que aconteceu entre 10 e 13 de maio, Costa também anunciou a criação de um prêmio de gestão participativa do Sistema Único de Saúde (SUS). Com o Prêmio Sérgio Arouca, o ministério pretende incentivar novas experiências de gestão.
O ministro também defendeu o Pacto de Gestão do SUS e a Lei de Gestão Sanitária, que deve ser discutida no Congresso Nacional.
Entre as metas do Pacto, que começa a ser implantado em outubro, estão a redução da mortalidade materna e infantil, a eliminação da hanseníase, o controle da tuberculose, dengue, malária, DST-AIDS e doenças imunoprevisíveis.
O documento será aplicado nas esferas municipal, estadual e nacional.
O congresso também foi marcado pelo lançamento da revista Divulgação em Saúde para Debate, que traz práticas das gestões municipais.

       
Publicidade

Deixe uma resposta

Humberto Costa anuncia repasse de verbas para Cuiabá

Publicidade

Durante o 21º Congresso Nacional de Secretários Municipais de Saúde e 2º Congresso Brasileiro de Saúde, Cultura de Paz e Não Violência, o ministro da Saúde, Humberto Costa, anunciou repasse de R$3 milhões até 2008 para o Programa de Expansão da Saúde da Família, em Cuiabá (MT). Durante o Congresso, que aconteceu entre 10 e 13 de maio, Costa também anunciou a criação de um prêmio de gestão participativa do Sistema Único de Saúde (SUS). Com o Prêmio Sérgio Arouca, o ministério pretende incentivar novas experiências de gestão.
O ministro também defendeu o Pacto de Gestão do SUS e a Lei de Gestão Sanitária, que deve ser discutida no Congresso Nacional.
Entre as metas do Pacto, que começa a ser implantado em outubro, estão a redução da mortalidade materna e infantil, a eliminação da hanseníase, o controle da tuberculose, dengue, malária, DST-AIDS e doenças imunoprevisíveis.
O documento será aplicado nas esferas municipal, estadual e nacional.
O congresso também foi marcado pelo lançamento da revista Divulgação em Saúde para Debate, que traz práticas das gestões municipais.

       
Publicidade

Deixe uma resposta