HIS17 É hora de mudar a saúde! Faça como seus colegas, participe do HIS. Quero participar da mudança

Hospital do Câncer Mãe de Deus vai usar IBM Watson

Publicidade

O Hospital do Câncer Mãe de Deus, referência em tratamento oncológico na região Sul do país, localizado em Porto Alegre, será a primeira instituição de saúde da América Sul a utilizar inteligência artificial para auxiliar a escolha do tratamento de  pacientes com câncer. A instituição passa a contar com a solução da IBM, Watson for Oncology, que fornece aos médicos opções de tratamento baseadas em evidências científicas mundiais. A plataforma de computação cognitiva em nuvem analisa grandes volumes de dados estruturados e não estruturados e aponta alternativas individualizadas e orientadas ao perfil de cada paciente diagnosticado com câncer.

Na prática, o médico incluirá no sistema as informações clínicas do paciente, com o seu histórico e resultados de exames. Com esses dados, a solução irá auxiliá-lo a reunir informações específicas para o tratamento do paciente. O Watson informa a relevância de cada tratamento identificado e fornece links de apoio para cada alternativa, indicando aos oncologistas quais são as opções de tratamento, medicamentos e possíveis efeitos colaterais e o que oferece um atendimento mais personalizado e produtivo, aumentando o tempo de interação entre o médico e o paciente. No fim do processo, o médico é responsável por tomar a melhor decisão fundamentada em todas essas informações geradas peloWatson for Oncology, podendo também dar o seu feedback em relação ao conteúdo disponibilizado pela plataforma para auxiliar no seu desenvolvimento.

Watson for Oncology foi inicialmente treinado pelo Memorial Sloan Kettering Center (MSK) – um dos mais importantes centros de estudos sobre o câncer no mundo, sendo atualmente beneficiado por um processo de treinamento colaborativo com centenas de médicos oncologistas. O sistema utiliza como base evidências científicas mensalmente atualizadas e classificadas por ordem de relevância por médicos usuários da plataforma no mundo todo. A solução colaborativa possui mais de 15 milhões de conteúdos científicos, incluindo cerca de 200 textos médicos e 300 artigos.

No Hospital do Câncer Mãe de Deus, os médicos poderão utilizar a solução para obter informações sobre tratamentos de 7 tipos de câncer: colo do útero, pulmão, mama, intestino, reto, estômago e ovário. Até o fim do ano, a plataforma deve contar com 18 categorias da doença catalogadas.

“Um dos propósitos do Hospital do Câncer Mãe de Deus é oferecer para os seus pacientes toda a gama possível de alternativas de tratamento. O Watson for Oncology integra-se ao trabalho de nossos oncologistas como um novo membro da equipe, possibilitando maior acesso à informação curada em tempo real auxiliando e qualificando as decisões dos médicos”, afirma o diretor do Hospital do Câncer Mãe de Deus, Dr. Carlos Barrios.

A capacidade de aprendizagem da plataforma Watson permite que ela seja aprimorada continuamente com a contribuição dos oncologistas que a utilizam ao longo do tempo. Além disso, faz com que o médico se mantenha atualizado sobre todas as evidências científicas relacionadas ao caso específico do paciente. Atualmente, cerca de 50 mil trabalhos de pesquisas oncológicas são publicados por ano. Estudos estimam que a informação médica do mundo irá dobrar a cada 73 dias a partir de 2020, tornando quase impossível que qualquer profissional de saúde se mantenha atualizado sem o auxílio da plataforma cognitiva.

“A intenção é que o Watson analise e cruze os dados do paciente com todas as evidências científicas atualizadas no dia da consulta, contribuindo na decisão do médico pelo melhor tratamento possível ”, explica o líder da IBM Watson Health no Brasil. Os sistemas cognitivos estão sendo adotados mundialmente no mercado de saúde porque tornam a medicina mais participativa. Na Índia, China, Tailândia, Estados Unidos e Coreia, por exemplo, o Watson for Oncology já é utilizado por grandes hospitais para dar suporte a oncologistas.

       
Publicidade

Deixe uma resposta