Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Hospital de Cotia investe no atendimento

Publicidade

A cena é freqüente: o paciente chega ao hospital, olha para um lado, olha para o outro, e não sabe para onde se dirigir. Para que isso se torne cada vez mais raro, o Hospital Dr. Odair Pedroso, de Cotia, da região metropolitana de São Paulo, criou uma Equipe de Acolhimento para receber, conduzir e orientar os pacientes que procuram atendimento. A instituição de saúde, administrada pelo complexo UNIFESP/SPDM, iniciou testando o serviço no setor de convênios e particulares e agora está estendendo também para os pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde) com cerca de 130 atendimentos no pronto-socorro por dia.
A Equipe de Acolhimento é formada por alunos do curso de auxiliar e técnico de enfermagem da Escola Técnica de Saúde do hospital. É deles a tarefa de ajudar o paciente em todas as etapas de sua passagem pela o hospital. O acompanhamento vai desde a chegada à recepção, até o esclarecimento de dúvidas sobre exames ou tratamentos prescritos pelo médico.
Como contrapartida ao serviço que prestam como voluntários ? atuando por duas horas todos os dias ? é concedida aos alunos uma bolsa de cerca de 20% sobre a mensalidade do curso, a título de incentivo.
De acordo com o superintendente do hospital, Sidnei Abdalla, o programa é inspirado num modelo proposto pelo Secretário de Estado da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata, que deverá ser implantado em alguns hospitais da rede estadual ainda no primeiro semestre de 2004. A idéia é humanizar e desburocratizar o atendimento, seguindo as normas ditadas pelo Ministério da Saúde.
Na avaliação de Abdalla, a atuação da Equipe de Acolhimento traz benefícios tanto para o usuário como para o hospital. Segundo o superintendente, o tempo de espera por atendimento diminuiu cerca de 30 minutos com a criação do programa.
Para a diretora administrativa do hospital, Neile Ferlante, mais importante que agilizar o atendimento, é o fato de as pessoas se sentirem seguras e amparadas num momento em que geralmente estão fragilizadas. Neile esclarece que no atendimento aos pacientes do SUS, a Equipe de Acolhimento é formada pelos próprios funcionários, pelo pessoal da recepção e do serviço social. ?Queremos que todos desenvolvam uma atitude acolhedora em relação aos pacientes?, destaca Neile.
As voluntárias da Equipe de Acolhimento vêem no programa uma oportunidade importante de conhecer de perto as necessidades do paciente. ?Se necessário, a equipe vai ao consultório para pedir orientação ao médico, caso o paciente não tenha entendido o que foi solicitado na receita. Eles encarregam-se ainda de fazer contato com os familiares, em eventuais internações daqueles que chegam ao hospital desacompanhados?, conta Renata Tabata, uma das assistentes responsáveis pelo treinamento dos alunos voluntários.
Atualmente, o hospital conta com 150 leitos e atende cerca de 250 pacientes por dia, entre pronto-atendimento e pronto-socorro, sendo o único da região que presta toda a assistência de urgência, emergência e internação nas áreas de clínica médica, cirurgia, pediatria e ginecologia-obstetrícia.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta