HIS17 Já emitiu sua credencial gratuita para o HIS '17? Clique aqui

H9J é o primeiro hospital privado a adquirir segundo robô

Publicidade

Primeira instituição privada do País a investir no sistema robótico Da Vinci no Brasil, o Hospital 9 de Julho (H9J) também será o primeiro nessa categoria a oferecer o segundo equipamento aos seus pacientes. Foram investidos mais de R$ 10 milhões* na aquisição que deverá dobrar o número de procedimentos.

 “Os números mostram que estamos no caminho certo para oferecer aos nossos pacientes o que há de mais moderno na medicina para tratamentos minimamente invasivos, sempre com a máxima qualidade e segurança”, afirma o Dr. Alfonso Migliore Neto, diretor geral do Hospital 9 de Julho.

O investimento foi dividido em R$ 5,3 milhões no equipamento e R$ 5 milhões em instrumental para realização de 40 procedimentos de urologia, 40 para cirurgia geral, 40 para ginecologia e 20 para procedimentos single site (um único acesso via umbigo). Segundo a engenharia clínica, estima-se um investimento perto de R$ 500 mil em outros equipamentos, além da adaptação de uma sala para abrigar o novo robô.

Novo modelo

 Além das funções que já existiam na versão anterior, o novo equipamento possui dois diferenciais:

– Firefly: iluminação guiada por fluorescência com visualização por infravermelho. O objetivo é verificar, em tempo real, quais microestruturas estão ao alcance do cirurgião.

– Vessel Sealer: é um selador de vasos. O Hospital 9 de Julho é o primeiro do País a ter este diferencial. Trata-se de um instrumento que permite otimizar o corte de vasos de até 7 mm de diâmetro e tecidos pequenos.

“Estes diferenciais melhoram os resultados das cirurgias e ajudam a reduzir sangramentos ou lesões em nervos, por exemplo”, pontua o Dr. Carlos Eduardo Domene, cirurgião do Aparelho Digestivo especializado em Cirurgia Robótica.

O especialista foi o responsável por trazer para o Brasil a técnica cirúrgica para tratamento de hérnia abdominal complexa. As hérnias de parede abdominal podem ocorrer em até 30% dos pacientes submetidos a cirurgias abertas; muitas delas precisam de várias cirurgias para sua correção, um grande passo para controle definitivo desse tipo de hérnia.

       
Publicidade

Deixe uma resposta