Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Gsk investe 20% dos seus lucros em países menos desenvolvidos

Publicidade

GlaxoSmithKline (GSK) anunciou que tem avançado com seu compromisso de reinvestir 20% dos lucros obtidos em países menos desenvolvidos em projetos que fortaleçam a estrutura de saúde nestas nações.

Para isso, firmou uma nova parceria com três grandes ONGs: AMREF, no leste e sul da África, CARE International UK, no Pacífico Asiático e Save the Children, no Oeste da África. O objetivo comum dos investimentos é melhorar os índices da saúde, dando apoio aos profissionais da área nestes países.

Atualmente, a GSK fornece medicamentos para 37 dos 48 países menos desenvolvidos e os lucros de 2010, disponíveis para investimento em 2011, chegam a, aproximadamente, £3.5 milhões. Em cada país será investido um valor proporcional ao lucro obtido lá. Por conta disso, a GSK estabeleceu um investimento mínimo de £10,000.

A falta crônica de profissionais de saúde que atuam na linha de frente treinados em países menos desenvolvidos é reconhecida como um dos pontos fundamentais para alcançar as Metas de Desenvolvimento do Milênio.

Trabalhadores treinados apropriadamente e apoiados adequadamente podem melhorar o acesso a serviços de saúde básicos nas comunidades, levando a melhores resultados, especialmente para mães e crianças. Por exemplo, em algumas situações, profissionais de saúde comunitários amparados e treinados podem oferecer tratamentos e oferecer educação sanitária sobre doenças comuns na infância, como pneumonia, diarréia, malária e subnutrição e alcançar 5.000 crianças em um ano.

Projetos em desenvolvimento incluem a expansão de um grupo de clínicas de enfermagem em Ruanda para melhorar o acesso à qualidade básica de tratamento de saúde e a medicamentos essenciais.

Um projeto de saúde comunitária no Camboja está permitindo a renovação de um centro de treinamento clínico para parteiras, com o objetivo de ajudar a reduzir o número de mulheres e crianças que morrem durante o parto. Estes projetos serão incorporados dentro desta parceria e continuarão como planejados.

Como resultado do acordo firmado, novos projetos serão iniciados, em breve, em Ruanda, na Etiópia e na República Democrática do Congo. Financiamento para futuros projetos também foram autorizados para Iêmen, Nigéria, Serra Leoa, Angola, Zâmbia, Bangladesh, Nepal e Camboja. A meta é que em 2012 cada país menos desenvolvido tenha um projeto em andamento.

AMREF, CARE e Salvem as Crianças têm expertise em acessar e apoiar profissionais de saúde que operam nestas desafiadoras comunidades rurais e marginalizadas. Cada ONG será responsável por estabelecer parcerias de infraestrutura em saúde por meio das quais os projetos serão selecionados e financiamentos canalizados. Estas parcerias incluirão representantes das organizações de saúde locais, governos e organizações parceiras.

Notas

Unidade Operacional de Países em Desenvolvimento e Acesso a Mercados

? GSK estabeleceu a unidade Operacional de Países em Desenvolvimento e Acesso a Mercados em julho para aumentar o acesso de pacientes aos medicamentos e vacinas da GSK enquanto expande sua presença e ajuda a construir um negócio sustentável em países em desenvolvimento.

? A Unidade Operacional de Países em Desenvolvimento e Acesso a Mercados almeja aumentar a disponibilidade de medicamentos GSK divulgando seu portfolio para fazê-lo mais relevante a pessoas destes países, com preços de modo a aumentar o acesso, atendendo a demanda reprimida, contribuindo para a educação e consciência, expandindo sua distribuição e dando suporte à sua cadeia de abastecimento.

? Onde for possível, a GSK trabalha em parceria com outras companhias, governos, agências internacionais, instituições acadêmicas, grupos de pacientes, ONGs e comunidades, provendo experiência, recursos, medicamentos e vacinas para melhorar o acesso ao tratamento de saúde.

Rede de clínicas de enfermagem em Ruanda

? Em Ruanda, a GSK está trabalhando numa parceria com a Fundação Healthstore para expandir a franquia de clínicas de enfermagem, que almeja melhorar o acesso aos cuidados básicos de tratamentos de saúde e medicamentos essenciais para populações rurais e marginalizadas.

? De propriedade de profissionais da saúde que entendem as necessidades das comunidades onde trabalham, as clínicas focam no tratamento e prevenção de doenças fatais mais comuns, incluindo a malária, infecções respiratórias, disenteria, entre outras. Elas também fornecem educação sanitária e serviços de prevenção para melhorar a saúde da comunidade.

? Com o apoio da GSK, a meta é crescer a rede de clínicas de três para 60 até 2013.

Iniciativa para a sobrevivência materno-infantil no Camboja

? A GSK está trabalhando numa parceria com a Reproductive and Child Health Alliance (RACHA) no Camboja para apoiar o crescimento e a renovação dos centros de treinamento clínicos para parteiras na Província de Banteay Meanchey.

? O investimento está sendo usado para construir clínicas práticas, salas de aula e acomodações para parteiras assistirem um treinamento periódico e desenvolvimento de habilidades neste centro.

? O Camboja tem um dos mais altos índices de morte entre crianças pequenas e mães quando comparados com o resto do mundo ? aproximadamente uma em cada 200 mulheres morre durante o parto e quase uma em cada dez crianças no Camboja morre antes do quinto dia depois de nascida. Aumentar o acesso para parteiras treinadas visa reduzir o número de mulheres e crianças que morrem durante o nascimento.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta