Referências da Saúde Quem foram os premiados da edição 2016? Confira agora

Governo cria Instituto Internacional de Neurociência

Publicidade

Os Ministérios da Ciência e Tecnologia e da Educação assinaram, na última sexta-feira, um protocolo de intenções para a criação do Instituto Nacional de Neurociência no Brasil firmando um compromisso de repassar R$ 2 milhões para dar início ao processo de criação do Instituto Internacional de Neurociência, em Natal. ?É um projeto emblemático dentro da descentralização de Ciência e Tecnologia, e pelo início da fixação, no Brasil, dos pesquisadores brasileiros que estão no exterior?, afirma o secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do MCT, Gilberto Sá, informa a Agência CT. A ação interministerial é comemorada pelos cientistas da área. ?Esta foi a primeira casa que nos acolheu e deu a sensação de fazer algo no Brasil com a magnitude que todo o mundo vai reconhecer?, festejou o coordenador do Projeto, Miguel Nicolelis, Doutor em Neurofisiologia pela Universidade de São Paulo (USP), que, em 1º de julho, apresentou a idéia ao ministro da Ciência e Tecnologia, Roberto Amaral.
A satisfação de Nicolelis, atualmente co-diretor do Centro de Neuroengenharia e professor de Neurobiologia e Engenharia Biomédica na Duke University em Durham, nos Estados Unidos, tem explicação. É que o Brasil não dispunha de instituto na área e, de acordo com o especialista, a Neurociência, que estuda todo o sistema nervoso central, suas funções e doenças, ?é a área da Biologia que mais cresce no mundo pela relevância científica e clínica do nosso entendimento do cérebro e de como ele funciona?. Além do que, segundo ele, a importância da Neurociência reflete na economia. ?A futura indústria da Biotecnologia vai ser baseada em aplicações médicas do sistema nervoso?.
Nicolelis informou que o Instituto deve ter de 10 a 15 laboratórios de Neurociência liderados pelos melhores pesquisadores brasileiros na área que atuam dentro e fora do Brasil. Bem como outros 10 laboratórios para cooperação internacional, principalmente, com os Estados Unidos, a Europa e o Japão. São países considerados líderes em Neurociência e que estão interessados em que o Instituto Internacional de Neurociência a ser instalado em Natal (RN) seja o elo da América Latina numa rede mundial de institutos da área.
A previsão inicial de Miguel Nicolelis é de que a estrutura física do Instituto Internacional de Neurociência fique pronta dentro de três anos, possibilitando sua efetiva entrada em funcionamento. De pronto, o Programa vai ser gerenciado de um escritório a ser montado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) nos próximos dias, e vai ganhar um laboratório, para iniciar o trabalho.
O Instituto Internacional de Neurociência também terá função social, uma vez que vai contar com escola para crianças de zero a 17 anos, as quais serão submetidas a um método pedagógico voltado a incentivar o aprendizado pela experimentação, e com um instituto de saúde mental infanto-juvenil. ?Está sendo plantada a semente que certamente dará uma árvore bonita que vai colaborar com a Ciência e com a Educação brasileira. Vemos esse Instituto como novo modelo de inserção da Ciência com o social?, expressou o presidente substituto da Coordenação de Aperfeiçoamento do Pessoal de Nível Superior (Capes), Isaac Roitman.
O protocolo de intenções e o convênio foram assinados no MCT pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Roberto Amaral, por Issac Roitman e por representantes da Fundação Norte-Rio-Grandense de Pesquisa e Cultura (Funpec) e da UFRN.

Publicidade

Notícias como essa no seu e-mail

Faça como mais de 20.000 profissionais do setor de saúde e receba as últimas matérias no seu email.

Deixe uma resposta