🚀 HIS18 Já conferiu os primeiros palestrantes do HIS? Já são mais de 20! CLIQUE AQUI

GE Healthcare e Roche se unem para desenvolver ferramentas de suporte à decisão clínica no tratamento de oncologia

Publicidade

Na última semana, a GE Healthcare e a Roche anunciaram uma parceria de longo prazo para desenvolver uma plataforma integrada de diagnóstico digital e melhorar o tratamento de oncologia e cuidados intensivos. O sistema para hospitais combinaria dados de pacientes provenientes de dispositivos de monitoramento contínuo e diagnósticos in vitro para ajudar os médicos em suas decisões clínicas.

O intuito das empresas é disponibilizar uma ferramenta de auxílio à tomada de decisão mais rápida, precisa e confiável, permitindo o diagnóstico precoce e tratamento individualizado dos pacientes. A parceria aplicará análises avançadas aos dados in vivo dos equipamentos de imagem médica da GE Healthcare e dados in vitro do portfólio de genoma, sequenciamento e biomarcadores da Roche. A integração proporciona maior controle do fluxo de trabalho, aplicação de melhores práticas no tratamento e previsão de possíveis complicações antecipadamente.

“Esta é a primeira vez que dois grandes atores da área de saúde combinam análises avançadas com diagnósticos in vivo e in vitro neste grau”, afirmou o presidente e CEO da GE Healthcare, Kieran Murphy, “Acreditamos que esta aliança ajudará a acelerar a entrega de dados precisos para a saúde de clientes, pacientes e setor de saúde”.

Steve Burnell, VP da Roche também declarou que “a medicina hoje está se tornando muito mais baseada em dados devido aos avanços em nossa compreensão científica da doença e da biologia humana, combinada com nossa capacidade de detectar e medir muitos novos parâmetros”.

No geral, o processo de tomada de decisão está se tonando cada vez mais complexo para os médicos. Tais decisões exigirão que eles tenham todas as informações relevantes e evidências ao seu alcance para fazer as escolhas mais assertivas, personalizadas e para elevar a qualidade do tratamento dos seus pacientes.

Por exemplo, no caso de câncer de mama, pode-se combinar dados de monitoramento em tempo real com imagens do diagnóstico, patologia e informações genômicas em um único perfil. Agora, imaginem esse conjunto de dados aliado à inteligência artificial? Pode ser possível, no futuro, reduzir o número de biópsias desnecessárias que são realizadas devido a descobertas suspeitas nas mamografias e, possivelmente, também reduzir mastectomias realizadas para combater carcinomas que, em alguns casos, podem evoluir para o câncer de mama invasivo, de acordo com Nadeem Ishaque, diretor de inovação da GE Healthcare Imaging.

O software possui grande potencial, já que foi idealizado para ser compatível com equipamentos de outras empresas, o que significa maior abrangência e acessibilidade para os hospitais. Segundo as empresas, outras aplicações serão desenvolvidas para fazer parte do sistema uma vez que a infraestrutura básica do sistema digital for concluída.

       
Publicidade

Deixe uma resposta